Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Máquina para votar em 1909! Qualquer semelhança terá sido mera coincidência...

Em tempos de corrida eleitoral e de ampla divulgação de todo o aparato que cerca as eleições no Brasil, interessante descobrir que no início do século XX um italiano chamado Boggiano inventou uma máquina de votar. A notícia da invenção chegou até Cachoeira pelas páginas do jornal Rio Grande , edição do dia 28 de fevereiro de 1909, e, por incrível que pareça, guardadas as proporções e a evolução tecnológica, as semelhanças da máquina de Boggiano com a urna eletrônica adotada no Brasil em 1996 não são meras coincidências: Jornal Rio Grande , Cachoeira, 28/2/1909 - acervo de imprensa do Arquivo Histórico Está dando muito bom resultado, e pena é que não fosse ainda utilisada entre nós, a machina para votar, descoberta por Boggiano e que funcciona com admiravel precisão. Trata-se de um apparelho de um metro de altura e provido de tantas aberturas, quantos os candidatos que disputam a representação politica, o emprego ou qualquer outra coisa. Em cima e debaixo dessas aberturas, em

Cachoeira - um livro útil

Com o título acima, o jornal Rio Grande , da coleção de imprensa do Arquivo Histórico, em sua edição do dia 28 de janeiro de 1909, trazia a notícia da intenção do historiador Aurélio Porto de lançar uma obra sobre Cachoeira: ...um trabalho de real utilidade para a nossa terra. Dedicando-se ha algum tempo a excavações historicas, tendo manuseado documentos de alto merito da nossa vida, quer no precioso archivo da Intendencia, quer em cartorios, em archivos particulares, e em outras partes nesta e outras cidades e na capital do Estado, Aurelio Porto, tem já subsidios excellentes para a obra a que se consagra com afam. Jornal Rio Grande, 28/1/1909 A obra referida pelo Rio Grande  foi ao prelo como parte histórica e de fundamentação do relatório que o intendente Isidoro Neves da Fontoura apresentou ao Conselho Municipal em setembro de 1910, dando conta dos negócios e da administração municipal sob seu comando. Foi intitulada Resumo histórico.  Originalmente a obra de Aurélio

Resgatando a Grande Cachoeira

No dia 11 de agosto de 2016, às 18 horas, no hall da Casa de Cultura Paulo Salzano Vieira da Cunha, a professora e pesquisadora Terezinha Tessele Fenker lançou o livro Resgatando a Grande Cachoeira. Segundo a autora, a obra "abrange todos os períodos históricos do maior município do Rio Grande do Sul, cujos limites encostavam no rio Uruguai. A obra focaliza os seus distritos e freguesias: Agudo, Caçapava, Cerro Branco, Dona Francisca, Restinga Seca, Rincão da Porta, Santa Maria, Alegrete e outras localidades conquistadas para a Coroa Portuguesa." Terezinha Tessele Fenker autografando a obra - foto Ricardo Zimmer Mirian Ritzel, Ione Rosa e Jussara Garske, assessoras do Arquivo Histórico junto à autora - foto Ricardo Zimmer As assessoras do Arquivo Histórico, Elisabete F. da Silva (Museu Municipal), a autora Terezinha T. Fenker e a pesquisadora Ione M. Sanmartin Carlos - foto Ricardo Zimmer Com 554 páginas, o livro foi escrito a partir de pesquisas da autor

Arquivo Histórico - 29 anos a serviço da preservação da história documental do município

5 de agosto é um dia de dupla significação para Cachoeira do Sul: há 196 anos houve a instalação da Vila Nova de São João da Cachoeira e o seu desmembramento de Rio Pardo e há 29 anos, em 1987, aconteceu a criação do Arquivo Histórico do Município. A data foi “escolhida a dedo” para dar significação ao papel que o Arquivo teria: o de guardar, organizar, preservar e difundir a documentação político-administrativa de valor histórico que o município produziu desde e a partir de então. E esta documentação não atrai apenas os pesquisadores locais, mas muitos vindos de diferentes lugares, com destaque para os municípios que tiveram em Cachoeira sua cidade-mãe. Com o correr do tempo, à documentação foram agregadas as coleções de jornais editados em Cachoeira do Sul a partir de 1900. A coleção de imprensa é diariamente procurada pelos usuários do Arquivo Histórico, atraindo pesquisadores e cidadãos em busca de notícias, informações e notas de seu interesse, especialmente no O Commercio (1