Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2017

A pereira da Miséria

O jornal O Commercio , edição de 21 de dezembro de 1910, talvez imbuído do espírito natalino, publicou uma lenda húngara, na verdade uma parábola que tenta explicar a miséria no mundo. Eis o texto: ===== A pereira da Miséria ===== Em um logar denominado Vico, existia uma mulher, chamada Miséria, que esmolava de porta em porta, e parecia tão velha como o peccado original. A mulher Miséria habitava em companhia de um cão, chamado Tarro, em um immundo casebre, sem moveis, tendo um bastão e uma saccola sempre vazia. É verdade que tinha tambem um pequeno quintal, com uma unica arvore, uma pereira tão formoza que não tinha rival, a não ser no paraizo terrestre. O unico prazer que neste mundo tinha Miséria era comer os fructos de sua pereira, mas, desgraçadamente, os rapazes lhe roubavam alguns. Quando ella sahia a pedir, Tarro a acompanhava, menos no outomno, que ficava elle para guardar a casa e a pereira, porém com grande sentimento, pois a velha e o cão se amavam com amôr

Arquivo Histórico registrado na XII Semana de Museus de Franca

Foi com satisfação que a equipe do Arquivo Histórico recebeu a publicação Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus , resultado de uma reflexão proposta pelo Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM sobre "quais as histórias que nossos museus estão contando? Como eles colaboram para a construção ou para o questionamento das versões oficiais dos grupos dominantes? Quais outras histórias precisam ser lembradas? Como trabalhar na expografia o confronto entre lembranças e esquecimento?"   Capa da publicação de Franca - SP Uma das histórias retratadas na publicação, que contém outros onze textos, traz a vida de um personagem que se ligou a Cachoeira, mais especificamente ao comando da Guarda Nacional. Trata-se de José Pinheiro de Ulhoa Cintra, natural de Jacuí, Minas Gerais, e que foi coronel da República Rio-Grandense. A pesquisa, assinada por Sônia Regina Belato de Freitas Lelis e Walter Antônio Marques Lelis, foi publicada com o título Mineiros na Gu

Encontrada a cápsula do tempo do 3.º BECmb

Na manhã do dia 6 de outubro de 2017, soldados do 3.º Batalhão de Engenharia e Combate de Cachoeira do Sul fizeram o passado emergir da terra quando localizaram a cápsula do tempo que foi depositada sob a pedra fundamental dos quartéis, festivamente lançada em 2 de abril de 1922. Naquele dia 2 de abril, estiveram em Cachoeira o Ministro da Guerra, João Pandiá Calógeras, General Cândido Rondon, chefe da Diretoria de Engenharia do Exército, outros oficiais e representantes da Companhia Construtora de Santos, empresa executora das obras. João Pandiá Calógeras - Ministro da Guerra Cândido Rondon - Diretor de Engenharia do Exército Recebidas pelo intendente Aníbal Loureiro, as autoridades foram levadas para conhecerem o terreno em que se assentariam os quartéis, cedidos pela Intendência ao Ministério da Guerra depois de terem sido adquiridos por compra a Virgílio Carvalho de Abreu e Virgilino Carvalho Bernardes. Intendente Annibal Loureiro O jornal  O Commercio , ediç

60 anos do edifício-sede do Clube Comercial

No dia 5 de setembro de 2017 transcorreram os 60 anos da inauguração do edifício que serve de sede ao Clube Comercial, uma das sociedades mais tradicionais de Cachoeira do Sul. Edifício do Clube Comercial - Rua 7 de Setembro - foto institucional A construção da sede própria foi sonho acalentado por gerações de associados, o que começou a se concretizar em 1945, quando um terreno e prédios localizados na Rua Sete de Setembro, esquina General Portinho foram adquiridos do casal Dr. Arthur Frederico Decker e Célia Decker. Em junho de 1949 foi lançada a pedra fundamental do edifício, com projeto desenvolvido pelo desenhista Ervino Brandt. A obra foi executada pela firma construtora Roberto Jagnow & Cia. Ltda., sob a direção técnica do engenheiro Hugo Schreiner. Planta do edifício do Clube Comercial, projeto de Ervino Brandt  - Acervo Arquivo Histórico Símbolo do Clube Comercial inserido no frontão do prédio  Os jornais O Comércio  e Jornal do Povo  noticiaram larg