Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2020

Retratos para a Intendência

Muitas vezes os documentos do acervo do Arquivo Histórico servem para decifrar fotografias do passado ou para fornecer informações sobre o seu contexto. A foto abaixo, tomada de reunião na sala das sessões do Conselho Municipal (corresponde hoje à Câmara de Vereadores), no segundo andar do prédio da Intendência, apresenta na parede três quadros de autoridades: Júlio de Castilhos, prócer do Partido Republicano, falecido em 24 de outubro de 1903, Antônio Augusto Borges de Medeiros, presidente do Estado à época, e Marechal Floriano Peixoto, segundo presidente da República (1891-1894).  Sala das sessões do Conselho Municipal - 2.º andar da Intendência  - Museu Municipal Pois dois dos três quadros que conferem oficialidade ao ambiente foram adquiridos pela Intendência de Cachoeira de um dos mais acreditados e famosos ateliês de fotografias do Rio Grande do Sul, o Atelier Photographico Cav. V. Callegari , de Porto Alegre. Conforme a nota fiscal emitida em 31 de janeiro de 1922, a Intendência

Registros de marcas de gado

Há no acervo do Arquivo Histórico, tanto nos fundos Câmara e Intendência Municipal, que estão indexados, quanto no conjunto documental da Prefeitura, livros e documentos avulsos registrando marcas de gado dos criadores cachoeirenses. Além de fornecerem os nomes dos pecuaristas e os locais de criação, tais documentos trazem os desenhos que serviam de marcas para o gado, identificando sua procedência e propriedade.  Da infinidade de desenhos empregados na identificação das reses, há padrões que se repetem, normalmente associados à figura do animal, a números ou às iniciais dos proprietários.  O primeiro livro de marcas de gado traz o título  Registo das marcas e signaes dos creadores, residentes no Municipio da Villa da Cachoeira, em virtude dos Art. os 25 e 26 da Lei Prov. cal n.º 203 de 12 de Desembro de 1850 , estando subdividido em Datas dos registos / Nomes dos creadores / Estancieiro, chacareiro ou piq. no creador / Em que Destricto / Nome de sua Fazenda / Desenho das marcas / E

Cachoeira no 1.º Centenário

A Cachoeira de 1920, ano da comemoração do primeiro centenário da instalação do município, ainda se chamava só Cachoeira e tinha como intendente o Dr. Aníbal Lopes Loureiro, nomeado provisoriamente para exercer o cargo a partir de 9 de janeiro de 1920. A administração Aníbal Loureiro, que era provisória em razão da renúncia por problemas de saúde do intendente eleito, o Capitão Francisco Fontoura Nogueira da Gama, tornou-se de fato quando em 5 de setembro daquele ano Loureiro foi eleito com 1.169 votos. Pela eleição, ficava o município sob sua administração no quatriênio 1920-1924. Dr. Aníbal Loureiro - fototeca Museu Municipal Foi, portanto, o intendente Aníbal Lopes Loureiro a grande liderança dos festejos do primeiro centenário de Cachoeira, comemorado em 5 de agosto de 1920. Placa do 1.º Centenário - Catedral N. Sra. da Conceição - foto Mirian Ritzel Segundo o Relatório de Estatística apresentado ao intendente Aníbal Loureiro, em 31 de outubro de 1920, pelo chefe