Pular para o conteúdo principal

Locomóveis

A partir de 1906, com o grande incremento que as lavouras de arroz tiveram a partir do uso da irrigação artificial, os produtores começaram a empregar outros equipamentos, conscientes do quanto a técnica aperfeiçoava a produção.

Uma interessante matéria publicada no jornal Rio Grande em 19 de outubro de 1911, além de revelar o momento de progresso pelo qual a cidade passava, oferece a excepcional possibilidade de datar foto existente no acervo do Museu Municipal. Vamos à matéria:

Locomoveis - Devido ao grande desenvolvimento da lavoura em nosso prospero municipio, a venda de machinas e utensilios agrarios tem augmentado consideravelmente.

Ha poucos dias desembarcaram na estação ferro-viario [sic] 3 possantes locomoveis da afamada fabrica "Lanz" comprados da casa Bromberg por intermedio da casa Josè Müller & Cia. desta cidade.

O primeiro desembarcado tem a força de 21 cavallos e foi adquirido pelos srs. Xavier & Moura; e o segundo de força de 42 cavallos foi adquirido pela empreza dos srs. Laureiro [sic] & Cia. 

Ultimamente desembarcou mais outro de força de 45 cavallos destinado á empreza dos srs. Gama & Silva, no 2.º districto. Este possante locomovel, vae fazer o transporte pelo rio Jacuhy, no passo do "Syringa" na barca de caverna do porto desta cidade, gentilmente cedida para este fim. 

Sò este anno já foram vendidos pela casa Bromberg & Cia. por intermedio de viajantes e da casa Josè Müller & Cia., desta cidade, 45 locomoveis, destinados á lavoura de arroz, entre as forças de 5 a 45 cavallos, representando o capital nada menos de 500 contos de reis.

Existem, actualmente nos trapiches da casa Bromberg & Cia. em Porto Alegre, cerca de 30 locomoveis a despachar, os quaes, em sua maior parte, são destinados ao nosso municipio.

Como vêm os leitores o desenvolvimento da cultura do arroz augmenta dia a dia, tornando rico e prospero o nosso municipio, onde se casam o espirito emprehendedor do homem, com importantes capitaes.

A foto abaixo registra a chegada de equipamentos na Estação Ferroviária de Cachoeira. Sem data, pode muito bem ter sido feita no descarregamento descrito na matéria jornalística do jornal Rio Grande.

Descarregamento de máquinas na Estação Ferroviária
- Museu Municipal

A possibilidade de associação de matérias jornalísticas com imagens não identificadas é uma verdadeira compensação do trabalho de pesquisa, o que se credita à existência e manutenção de instituições de memória, como é o caso do Arquivo Histórico e do Museu Municipal. Se o jornal Rio Grande concede uma informação detalhada e quantificada dos negócios envolvendo as lavouras de arroz no ano de 1911, a foto confirma visualmente cena que parece ter sido bem frequente naqueles primeiros e prósperos tempos dos anos de 1900.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Adeus, Guarany!

O Guia Geral do Município de Cachoeira do Sul, organizado por José Pacheco de Abreu em 1963/1964, traz em sua página 18 um anúncio do Hotel Guarany: Guia Geral do Município de Cachoeira do Sul , de José Pacheco de Abreu (1963/1964) Hotel Guarany - de - ARTHUR MENEGHELLO Situado no ponto mais central da cidade, dispondo de excelentes acomodações, com água corrente em tôdas as suas dependências e com banhos quentes e frios, oferece todo confôrto aos senhores viajantes e exmas. famílias. DIÁRIAS COM OU SEM REFEIÇÕES -o- Rua Julio de Castilhos, 118 - Fone 212 CACHOEIRA DO SUL - R. G. do Sul O Hotel Guarany foi sucessor do Hotel Savoia, do mesmo proprietário Arthur Meneghello, na Rua Júlio de Castilhos, 118 e anteriormente 90, localização apropriada em razão da proximidade da estação ferroviária. Hotel Savoia - Cachoeira Histórica e Informativa, p. 52 (1943) Hotel SAVOIA - de - ARTHUR MENEGHELLO RUA JULIO DE CASTILHOS, nº 90 Telefone 212 CACHOEIRA Rio Grande do Sul Quartos espaçosos e higie

Bar América - plantas no acervo do Arquivo Histórico

A notícia de obras de recuperação e melhoria do Bar América para nele ser instalada a futura Secretaria Municipal da Cultura faz renascer a esperança de ver aquela parte nobre da Praça José Bonifácio revitalizada e, ao mesmo tempo, viabilizar espaço e melhores condições à valiosíssima área cultural do município.  A história do Bar América remonta ao ano de 1943, quando a imprensa noticiou que a Prefeitura Municipal pretendia construir um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. Assim noticiou o jornal O Comércio , de 17 de março daquele ano: A Praça José Bonifácio será dotada de um quiosque-bar Faz parte do programa de reforma da cidade, desde o calçamento das principais ruas, a construção de um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. De tempos em tempos, o nosso Governo Municipal faz publicar editais de concurrencia publica para a construção e exploração de um bar naquele local, mas estes não apareciam. Agora, foi posta em fóco novamente a questão e apresentou-se um único candidato, que en

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta. O Commercio , 24/6/1931, p. 1 Folheando as páginas dos jornais O Commercio  e Jornal do Povo  da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931: O Commercio, 8/7/1931, p. 1 Casas Pernambucanas. - Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado ne