Pular para o conteúdo principal

Hospital de Caridade

Há 80 anos a comunidade cachoeirense estava empenhada em erguer um segundo prédio para o Hospital de Caridade, uma vez que o primeiro, inaugurado em 1910, já estava acanhado para atender à demanda.

Primeiro prédio do Hospital - 1922  - Museu Municipal

Para isto, a exemplo do que aconteceu com o primeiro Hospital, contar com o auxílio da comunidade era medida importantíssima e capaz de levantar os recurso necessários para tão importante obra.

O jornal O Commercio, em sua edição do dia 18 de outubro de 1939, alertou os leitores sobre o momento crucial enfrentado pela diretoria da instituição hospitalar e comissão de construção:

O Comércio - 18/10/1939

O Hospital de Caridade de Cachoeira atravessa, no momento, a phase mais difficil de sua construcção. Escassos se vão tornando os recursos de que dispõe a directoria para fazer face ao vultoso custo do arremate da obra, do mobiliario e do aparelhamento cirurgico e clinico necessarios.
Em veemente appello dirigido, ha pouco, á população de Cachoeira, a directoria do Hospital frisou que, sem um novo esforço do povo, no sentido de effectuar o pagamento de suas contribuições já promettidas, estariam as obras na imminencia de paralisação. Felizmente o apello da directoria, que tem consagrado á essa obra o melhor de seus esforços, ecoou profundo na alma de todos os que sentem a necessidade de um Hospital á altura do progresso de Cachoeira. Muitos que já haviam contribuido, voltaram, voluntariamente, a prestar seu auxilio, com novas e maiores doações. Entretanto ainda ha muitos que deram pouco em relação ás suas posses e outros que ainda nada deram. Chegou, porém, a occasião de uns e outros prestarem o auxilio que o Hospital requer de todos, visto que, para todos, está sendo elle cosntruido e nesse sentido a sua directoria renova seu appello aos cachoeirenses para que congreguem  seus esforços em prol de uma nova campanha para a finalisação dessa grande obra que será o amparo dos necessitados e o orgulho de Cachoeira.
---
Durante a semana finda registraram-se mais as seguintes contribuições: 
Exma. sra. Martha Fuerstenau 5:000$000
Exma. sra. d. Rosa Hipp               500$000
Festival realisado pelas Irmãs Missionarias  300$000
Exma. sra. d. Hilda Preussler Gressler - mobiliario completo de quarto de 2.ª classe
- Chá corrente realisado na residencia da senhorinha Adalgisa N. Xavier  250$000

A comunidade cachoeirense mais uma vez aderiu à causa, venceu as dificuldades e atingiu o objetivo de inaugurar as novas dependências de seu Hospital de Caridade e Beneficência, o que ocorreu festivamente em 19 de maio de 1940.

Hospital de Caridade - fachada da Rua 7 de Setembro - Museu Municipal

A história do Hospital de Caridade e Beneficência sempre foi marcada pelas ações comunitárias em prol de seu desenvolvimento. A gênese de tudo isto foi plantada em 1903, quando o advogado Ernesto Barros conclamou todos a se unirem em prol da causa de dotar a cidade de um hospital através da manifestação publicada na imprensa com o título de Appello aos corações generosos.

Desde então, os corações jamais deixaram de ser generosos.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Adeus, Guarany!

O Guia Geral do Município de Cachoeira do Sul, organizado por José Pacheco de Abreu em 1963/1964, traz em sua página 18 um anúncio do Hotel Guarany: Guia Geral do Município de Cachoeira do Sul , de José Pacheco de Abreu (1963/1964) Hotel Guarany - de - ARTHUR MENEGHELLO Situado no ponto mais central da cidade, dispondo de excelentes acomodações, com água corrente em tôdas as suas dependências e com banhos quentes e frios, oferece todo confôrto aos senhores viajantes e exmas. famílias. DIÁRIAS COM OU SEM REFEIÇÕES -o- Rua Julio de Castilhos, 118 - Fone 212 CACHOEIRA DO SUL - R. G. do Sul O Hotel Guarany foi sucessor do Hotel Savoia, do mesmo proprietário Arthur Meneghello, na Rua Júlio de Castilhos, 118 e anteriormente 90, localização apropriada em razão da proximidade da estação ferroviária. Hotel Savoia - Cachoeira Histórica e Informativa, p. 52 (1943) Hotel SAVOIA - de - ARTHUR MENEGHELLO RUA JULIO DE CASTILHOS, nº 90 Telefone 212 CACHOEIRA Rio Grande do Sul Quartos espaçosos e higie

Bar América - plantas no acervo do Arquivo Histórico

A notícia de obras de recuperação e melhoria do Bar América para nele ser instalada a futura Secretaria Municipal da Cultura faz renascer a esperança de ver aquela parte nobre da Praça José Bonifácio revitalizada e, ao mesmo tempo, viabilizar espaço e melhores condições à valiosíssima área cultural do município.  A história do Bar América remonta ao ano de 1943, quando a imprensa noticiou que a Prefeitura Municipal pretendia construir um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. Assim noticiou o jornal O Comércio , de 17 de março daquele ano: A Praça José Bonifácio será dotada de um quiosque-bar Faz parte do programa de reforma da cidade, desde o calçamento das principais ruas, a construção de um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. De tempos em tempos, o nosso Governo Municipal faz publicar editais de concurrencia publica para a construção e exploração de um bar naquele local, mas estes não apareciam. Agora, foi posta em fóco novamente a questão e apresentou-se um único candidato, que en

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta. O Commercio , 24/6/1931, p. 1 Folheando as páginas dos jornais O Commercio  e Jornal do Povo  da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931: O Commercio, 8/7/1931, p. 1 Casas Pernambucanas. - Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado ne