quinta-feira, 28 de junho de 2012 | By: Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul

Beleza Arquitetônica Registrada

Outra doação feita ao Arquivo Histórico, no início desde ano, foi a revista "Templo Martim Lutero:  patrimônio histórico tombado", de Nelda Scheidt, com descrição detalhada e ilustrada do Templo Martim Lutero de Cachoeira do Sul, projetado pelo arquiteto alemão Theodor Wiederspahn, inaugurado em 1931 e tombado em 2011 pelo COMPACH (Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural). É um trabalho marcado pelos detalhes. Fotografias que mostram elementos arquitetônicos ricos em simbologia, ao mesmo tempo em que se evidencia a preocupação em registrar esses elementos para eternizá-los.
Na fotografia, vê-se da esquerda para a direita: Elizabeth Thomsen, Nelda Scheidt e Ione Sanmartin Carlos.

Imagem: Danilo Cunha
A respeito do trabalho sobre o Templo Martim Lutero e seu tombamento, assim se expressou Mirian Ritzel, diretora do Núcleo de Cultura:
"O Templo Martim Lutero, último bem imóvel tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPACH, ato que ocorreu por ocasião de seus 80º aniversário em abril de 2011, ensejou a publicação de primoroso trabalho que embasou o processo de tombamento, realizado por Nelda Scheidt com a participação de Elizabeth Thomsen e Regina Gressler Buss.
As organizadoras da publicação ofertaram exemplares da obra aos departamentos do Núcleo Municipal da Cultura, estando disponíveis para consulta dos interessados no Arquivo Histórico, Atelier Livre, Biblioteca Pública e Museu Municipal.
O tombamento do Templo Martim Lutero reveste-se de ineditismo em significativos aspectos: surgiu da vontade da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana, encontrou respaldo no interesse da administração municipal e produziu o mais completo e bem elaborado processo de tombamento dentre todos os imóveis tombados."
terça-feira, 5 de junho de 2012 | By: Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul

Histórias do Tio Quintino

Neste primeiro semestre de 2012 recebemos duas doações valiosíssimas no que se refere à história de nosso município. 
A primeira delas trata de dois livros: "Quintino, o Persistente" e "Quintino, o Destemido", que nos foram doados pelo autor, Osmar Armando Pohl. A obra mostra a trajetória da cultura do arroz, em Cachoeira do Sul.
Falando sobre Quintino, o advogado Armando Fagundes, em sua coluna semanal no Jornal do Povo, de 17 de abril, assim se expressou: "Sem dúvida, para os que gostam da história da cidade é leitura obrigatória o livro do Dr. Osmar Armando Pohl, 'Quintino, o persistente', que conta a vida de adolescente vivida nesta cidade quando seu pai plantou na Granja do Salso, do Irapuá e do Paredão, nos fundos do Hipódromo, anos 30 e 40. É a melhor narração que li sobre os sacrifícios do plantador de arroz". E, para ilustrar seu comentário, transcreve: "Na ocasião, também estava sendo realizada a 1ª Festa Nacional do Arroz. A cidade achava-se toda engalanada. Porém, como estávamos com pressa, pouco pude ver do aspecto festivo. Mas do pouco que vi não tive boa impressão, pois, a pretexto de ornamentação, colocaram uma camada de arroz com casca, da altura do meio fio sobre a Rua 7 de Setembro, desde a esquina da CEF até a praça José Bonifácio. Fiquei chocado ao ver tamanho desperdício..."
Na foto, vê-se Osmar e sua esposa quando da entrega dos livros à diretora do Arquivo, Ione Carlos, ao centro.
Imagem: Loveli Moreira La-Flôr

segunda-feira, 4 de junho de 2012 | By: Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul

Participação do Arquivo na 17ª FENARROZ

O Arquivo Histórico se fez presente na 17ª FENARROZ, ocorrida de 22 a 27 de abril, quando colocou em exposição alguns dos banners de genealogia. A participação se deu no stand do Núcleo de Cultura de Cachoeira do Sul.


Imagens: Fátima Milanesi e Ione Sanmartin Carlos