Pular para o conteúdo principal

Passo de São Lourenço à espera do Imperador

O Blog do Arquivo Histórico chega hoje a sua 100.ª postagem e tem buscado levar ao conhecimento de seguidores e eventuais consulentes muitos dos documentos que integram o seu acervo, verdadeiros tesouros que contam e comprovam a nossa história!

Em 1865, ano da segunda vinda do Imperador Pedro II à Vila da Cachoeira, as autoridades já se organizavam para dar boa impressão ao ilustre visitante. Eram tempos de dificuldades também por conta da guerra que estava em curso contra o Paraguai. E o Passo de São Lourenço, caminho de passagem para as tropas que se dirigiam à fronteira do Brasil, carecia de melhoramentos.

Em 26 de julho de 1865, a Câmara Municipal recebeu uma correspondência de Angelo Moniz da Silva Ferraz, Ministro dos Negócios da Guerra, em que demonstra indignação com o péssimo estado da barca de passagem do Passo de São Lourenço e exige que os vereadores tomem providências para melhorá-la uma vez que servirá de passagem para a comitiva de Sua Majestade, o Imperador Pedro II, quando de sua vinda.

CM/OM/Ofícios/Caixa 5

Em outra correspondência, datada de 8 de agosto de 1865, Angelo Moniz da Silva Ferraz torna a demonstrar sua indignação com o serviço oferecido no Passo de São Lourenço, citando o momento delicado de guerra em que muitas tropas e material de exército precisavam servir-se do local para sua passagem. 

CM/OM/Ofícios/Caixa 5

Nas duas correspondências há claramente um "puxão de orelhas" nas autoridades. Decorridos quase 150 anos,  pouca coisa evoluiu e o Passo de São Lourenço, que já passou por todas as guerras desde então, continua a provocar velhas batalhas...

MR

Comentários

  1. Isso me lembra as inaugurações de obras públicas, ou as visitas de alguma * autoridade * quando as ruas são caiadas, ajardinadas e outros mimos mais, depois, fica tudo como dantes no quartel de Abrantes.

    ResponderExcluir
  2. Que sorte temos de poder contarmos, com essas criaturas que dedicam suas horas de lazer, a compartilharem o que descobrem e preservam abnegadamente.
    Nossa eterna gratidão e respeito.
    Mirian Ritzel, Ucha Mor e Ione San Martin

    ResponderExcluir
  3. Hugo Vieira da Cunha conseguiu sintetizar os sentimentos que temos em relação a estas abnegadas e cultas guardiãs da nossa historia.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, amigos e incentivadores pela gentil acolhida de nosso trabalho. Divulgar a história é nosso compromisso.

    ResponderExcluir
  5. Afinal Men de Sa faleceu as margens do S Lourenço? ou foi Barro Vermelho? E quando Barbacena esteve acampado em S Lourenço la pelo 1927 existe algum Marco Historico no Local?

    ResponderExcluir
  6. Desculpe .....me enganei.....Digo Baltazar de Bem..no lugar de Mem de Sa.

    ResponderExcluir
  7. O arquivo é excelente! Parabéns pelo trabalho. Estive em outras cidades da região, por dever de ofício, e poucas, até mesmo as de relevo histórico, possuem projeto similar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da