Pular para o conteúdo principal

Cédulas itinerantes de eleitores ausentes

Corriam os primeiros tempos após a Revolução Farroupilha. Em julho de 1845, na Vila Nova de São João da Cachoeira, o juiz de paz Francisco Ribeiro Pinto tentava cumprir com o rito das eleições para escolher e dar posse aos vereadores da legislatura de 1845 a 1848 e aos juízes de paz. Com este intuito, redigiu ofícios para os eleitores inscritos - os ditos homens bons e probos dos distritos que compunham o município - para que se dirigissem à sede da Vila e depositassem os seus votos na urna.

Muitos dos destinatários dos ofícios enviaram prontamente suas respostas justificando o não comparecimento para a eleição com as mais diversas e curiosas motivações: por enfermidade, por falta de cavalo, por incômodo de peito, por pé doente, etc. E o interessante - e impensável nos dias de hoje - é que todos eles mandaram as cédulas preenchidas ao juiz de paz, rogando a V.Sªs. se dignão acceita-las. 

O arquivo Justiça do acervo documental do Arquivo Histórico guarda vários exemplares das respostas dos eleitores, dentre as quais consta a que segue, remetida por Manoel Alves Gomes:


Arquivo Justiça - 16/7/1845
- Acervo documental Arquivo Histórico

Participo-lhe a VS.ª que por me achâr em comodado, e sem poder montar a cavallo motivo pr onde não posso comprir com os meos deveres, de hir peçoal m.te levar m.as cedollas, as quais remeto lhe a sim rogo lhe a VS.ª o me desculpar; Deos Garde a VS.ª p.r ms a.s 
Cedro 16 de Julho de 1845
Manoel Alves Gomes

Ill.mo Snr" Juiz de Pais
Francisco Ribr.º Pinto

Os eleitores ausentes que enviaram respostas ao juiz de paz com as respectivas cédulas foram: João Martins da Silva (Areal na costa do Ibicuí), Joze dos Santos Car[?], Francisco Machado Fagundes (Pau Fincado), Francisco de Assis Brasil (São Felipe), Antonio Manoel de Jegus [sic] (São Felipe), Francisco de Almd.ª Leite (Rincão de São Pedro), Fellesberto J.e An.to dAvila (Santa Maria), Luis J.e de Mello (Rincão de São Pedro), João Gllz. Rozado (Rincão de São Pedro).

Cumprida a obrigação do voto, mesmo que as cédulas tivessem chegado sem seus subscritores, o resultado das eleições sufragou e levou à posse os vereadores Alexandre Coelho Leal, João Thomas de Menezes Filho, João Antonio de Barcellos, João Pinto da Fonseca Guimaraens, Jose Pereira da Silva Goulart, João de Souza Dias e Joze Rodrigues de Moraes.

(MR)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da