Pular para o conteúdo principal

Estádio Municipal

Em 4 de junho de 1939, o Jornal do Povo trouxe notícia sobre as obras de construção do Estádio Municipal. Junho de 2019, o octogenário Estádio Joaquim Vidal também está em obras, mais uma tentativa de modernizá-lo, adequando-o às práticas e exigências desportivas correntes.

Assim ficaram informados os cachoeirenses amantes do esporte naquele 4 de junho de 1939:

Jornal do Povo, 4/6/1939

Vida desportiva
Em vias de conclusão as obras de enleivamento do campo
Até o dia 15 dêste mês, possivelmente, estarão terminados os trabalhos - Movimentam-se os círculos desportivos em tôrno da preparação das "equipes"

Muito tem prejudicado o "foot-ball" cachoeirense a demora no aprontamento do Estádio Municipal.
Os trabalhos, entretanto, não tiveram andamento mais rápido devido a circunstâncias plenamente justificadas e inelutaveis.
As condições do novo campo, porém, compensarão por completo tão longa espera. Teremos, como já afirmamos, uma das melhores praças de esporte de todo o Estado.
A maior dificuldade que teve de ser enfrentada foi a do enleivamento do campo.
Êsses trabalhos, agora, no entanto, se acham adiantadissimos. Tanto que se poderá dizer que, dentro de uma quinzena, ou pouco mais, estarão prontos. Até o fim do mês corrente, portanto, estará tudo ultimado.
Terá de correr, depois, como é bem de ver, algum tempo para que o terreno se torne bem firme e a grama bem entrelaçada.
Mas isto será o de menos. O mais já está feito.
Vendo, assim, que as coisas se encaminham para o início, dentro de tempo relativamente próximo, das atividades desportivas, os círculos futebolísticos cachoeirenses se movimentam no sentido de preparar as "equipes" que concorrerão ao campeonato.
Êsse preparo, aliás, precisa ser tanto mais cuidadoso quanto é certo que os conjuntos locais se apresentarão êste ano no meio de uma certa igualdade de fôrças.
Por emquanto, todo o juizo sôbre os quadros que se baterão pelo campeonato local ainda é um tanto prematuro. Com o conhecimento, entretanto, que se possue dos valores individuais de que dispõe cada Clube faz se possível avançar, com bastante fundamento, essa opinião. 

A história inacreditavelmente se repete... As obras em 1939, lamentadas como lentas, foram concluídas no final daquele ano, tendo o Estádio Municipal sido inaugurado em 5 de dezembro com jogo entre Grêmio Futebol Porto-Alegrense e Combinado Cachoeirense. O Jornal do Povo, edição do dia 7 de dezembro de 1939, disse que o time porto-alegrense deu uma aula de futebol e que o combinado cachoeirense correspondeu à expectativa. 

Estádio Municipal na Festa do Arroz - 1941 - Acervo Lucy Ribeiro
Secretário Trojanh comandava obras do Estádio Joaquim Vidal  em 2017
-  Arquivo Jornal do Povo

Junho de 2019. As obras de melhorias no velho Estádio Joaquim Vidal, nome que lhe foi dado em razão de seu projetista, vêm de longa data por circunstâncias justificadas e inelutáveis, como em 1939... Quem sabe, repetindo-se a história, não possam ser inauguradas festivamente em dezembro de 2019?

MR

Comentários

  1. Joguei futebol de campo no Estádio Joaquim Vidal, enquanto aluno do Colégio João Neves da Fontoura - nos anos 50. Naquela época, para mim, era o maior estádio do mundo e eu orgulhoso por estar ali.

    ResponderExcluir
  2. Muitos domingos passados neste estádio junto com meus pais e irmãs, torcendo para o Cachoeira Futebol Clube! Tenho até fotografia destes momentos, junto ao estacionamento interno que lá havia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Bar América - plantas no acervo do Arquivo Histórico

A notícia de obras de recuperação e melhoria do Bar América para nele ser instalada a futura Secretaria Municipal da Cultura faz renascer a esperança de ver aquela parte nobre da Praça José Bonifácio revitalizada e, ao mesmo tempo, viabilizar espaço e melhores condições à valiosíssima área cultural do município.  A história do Bar América remonta ao ano de 1943, quando a imprensa noticiou que a Prefeitura Municipal pretendia construir um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. Assim noticiou o jornal O Comércio , de 17 de março daquele ano: A Praça José Bonifácio será dotada de um quiosque-bar Faz parte do programa de reforma da cidade, desde o calçamento das principais ruas, a construção de um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. De tempos em tempos, o nosso Governo Municipal faz publicar editais de concurrencia publica para a construção e exploração de um bar naquele local, mas estes não apareciam. Agora, foi posta em fóco novamente a questão e apresentou-se um único candidato, que en

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta. O Commercio , 24/6/1931, p. 1 Folheando as páginas dos jornais O Commercio  e Jornal do Povo  da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931: O Commercio, 8/7/1931, p. 1 Casas Pernambucanas. - Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado ne

A Ponte do Passo Geral do Jacuí

O Passo Geral do Jacuí, localizado a 30 km da cidade de Cachoeira do Sul, pela estrada de rodagem e, cerca de 40 km pelo leito do rio Jacuí, foi um dos caminhos de ligação entre Rio Pardo e a Região da Fronteira Oeste e Planalto, em tempos de paz e de Guerra Farroupilha. Terminada a Revolução Farroupilha, com a pacificação de Ponche Verde, a Província, governada por Caxias, volta-se para as obras e a prosperidade do Rio Grande do Sul. Em 8 de abril de 1846, por decreto, é apresentado o projeto para esse desenvolvimento e nele incluída a construção de uma ponte sobre o Passo Geral do Jacuí. Uma obra necessária e vital para agilizar a ligação entre os principais núcleos urbanos, servidos pelo rio Jacuí e a comercialização dos produtos e riquezas entre regiões Leste e Oeste da Província. Sua construção foi contratada pelo empreiteiro Ferminiano Pereira Soares, em 1848, pela quantia de 250 contos de réis, paga em seis prestações e num prazo contratual de cinco anos. (Ferminiano co