Pular para o conteúdo principal

Inauguração da Hidráulica Municipal - 18/10/1925

O dia 18 de outubro de 1925 foi marcado para a realização dos testes de funcionamento dos equipamentos empregados na captação, tratamento e distribuição de água do sistema implantado na segunda hidráulica. As obras, executadas pela firma Silveira, Soares & Cia., seguiam projeto do famoso engenheiro sanitarista Dr. Saturnino de Brito.

Dr. Saturnino de Brito - www.12senado.leg.br

Iniciadas em 1923, quando houve o assentamento dos condutos do esgoto em ruas principais, as obras de saneamento projetadas por Saturnino de Brito se estenderam até 1925, sendo a inauguração da segunda hidráulica, chamada de Hidráulica Municipal, o coroamento desse importante e imprescindível projeto. Coube a João Neves da Fontoura, vice-intendente em exercício, a conclusão e inauguração das obras implantadas na administração do intendente Francisco Fontoura Nogueira da Gama. Chico Gama, como era chamado, afastou-se da administração municipal por motivos de saúde, falecendo em 1927.

Curiosamente a ata da solenidade que marcou a experiência oficial de funcionamento da Hidráulica Municipal foi redigida no Livro n.º 1 da Câmara, o mesmo usado em 5 de agosto de 1820 para instalação da Vila Nova de São João da Cachoeira. Não deixa o fato de atestar a importância daquele momento histórico que marcou e ainda marca as condições sanitárias de Cachoeira do Sul.

Faziam parte dos componentes da Hidráulica Municipal, localizada próximo das instalações do 3.º Batalhão de Engenharia, o Château d'Eau - atualmente o principal cartão-postal da cidade - e o reservatório enterrado da Praça Borges de Medeiros, na Rua Júlio de Castilhos.



Igreja Matriz e Château d'Eau - Museu Municipal

Reservatório enterrado - Museu Municipal


Eis o conteúdo da ata de 18 de outubro de 1925:


Acta da experiencia official da nova Hydraulica Municipal 

Aos dezoito dias do mez de outubro de mil e novecentos e vinte e cinco, nesta cidade de Cachoeira, Estado do Rio Grande do Sul, no edificio da Hydraulica Municipal, situado nas proximidades do quartel do 3.º Batalhão de Engenharia, á margem esquerda do rio Jacuhy, ahi presentes o sr. dr. João Neves da Fontoura, vice-intendente do municipio no exercicio do cargo de Intendente, autoridades, funccionarios federaes, estaduaes e municipes, associacões civis e religiosas, pessoas gradas e grande massa popular, foi feita a experiencia official das machinas, filtros e demaes obras de que se compôe a nova Hydraulica Municipal, as quaes, postas, em execução, deram exccellentes resultados, constatando-se um perfeito funccionamento.

Em seguida, usou da palavra o referido vice-intendente em exercicio, dr. João Neves da Fontoura que, em brilhante allocucão, se referiu ao novo melhoramento que se vinha de realisar a primeira experiencia e terminou congratulando-se com os habitantes da cidade pelo feliz exito de sua installação.

Em segudia, foi offerecido aos presentes uma uma mesa de doces e finos liquidos.

As obras da nova Hydraulica foram executadas, simultaneamente com as obras de exgottos, pelos engenheiros: Silveira, Soares & Cia, sob a directa fiscalização da Municipalidade e do Governo do Estado, e de accordo com o projecto elaborado pelo eminente engenheiro Saturnino Rodrigues de Brito.

Nada mais havendo, para constar, Eu, Emiliano Antonio Carpes, secretario do Municipio, lavrei a presente acta, para ser assignada pelos presentes.

João Neves da Fontoura (e mais 73 assinaturas) 

Fonte: CM/OF/A-008.

1.ª página da ata de inauguração da Hidráulica Municipal
- CM/OF/A-008


Dentre os signatários da ata, além de João Neves da Fontoura, aparecem Julio Castagnino, Reinaldo Roesch, Antonio Soares (da firma Silveira, Soares & Cia.), Augusto Brandão, Carmen e Marina Neves da Fontoura, Carlos Leal Nogueira da Gama, Alvaro Xavier da Cunha, Placentino Stringuini, Diamantino Carvalho da Fonseca, Joaquim Vidal e o secretário e redator Emiliano Antonio Carpes.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da