Pular para o conteúdo principal

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta.

O Commercio, 24/6/1931, p. 1

Folheando as páginas dos jornais O Commercio e Jornal do Povo da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931:


O Commercio, 8/7/1931, p. 1


Casas Pernambucanas.
- Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado nesta cidade, em cujo commercio trabalha ha muitos annos. 

O acto teve caracter festivo, fazendo-se ouvir uma banda musical á frente do estabelecimento, que é de propriedade da firma Lundgren, Irmãos Limitada, e sendo servido doces, sandwichs, vinho, cerveja e outras bebidas á assistencia, que enchia o vasto salão.

As fazendas expostas estão todas com os preços marcados na respectiva peça, em algarismos grandes, e bem assim as que estão acommodadas nas armações.

O acto inaugural prolongou-se durante uma hora, conservando-se a casa sempre repleta de povo.

A' tarde do mesmo dia e durante os dias subsequentes a nova casa teve grande movimento commercial.

A notícia acima, extraída do O Commercio, remete à quarta-feira anterior, ou seja, 1.º de julho de 1931. 

O sucesso da loja foi tanto em Cachoeira que em 1936 ocorreu a abertura de uma nova filial, dessa vez na Rua Sete de Setembro. Dias antes, em 27 de agosto, o Jornal do Povo deu a seguinte notícia:

Uma sub-filial, nesta cidade, das Casas Pernambucanas. Está nesta cidade o sr. Norberto Fatio, superintendente, nos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, das Casas Pernambucanas.

O sr. Fatio deu-nos ante-ontem, o prazer de sua visita, acompanhado pelo sr. João Corrêa, gerente da filial das Casas Pernambucanas, e do sr. Lidonio Vinhas, que será gerente da sub-filial desse importante estabelecimento.

Jornal do Povo, 27/8/1936, p. 3


Rua Sete em dia de desfile do Dia do Gaúcho.
Ao fundo, na esquina, a segunda filial das Casas Pernambucanas, com a marca "Olho" na fachada. 
- Acervo Dr. Eurico N. Wilhelm


Coincidentemente, as Casas Pernambucanas, fundadas em 1908 por um sueco de nome Herman Theodor Lundgren, em Recife, Pernambuco, reabrem suas portas em Cachoeira do Sul exatos 90 anos depois de sua primeira e vitoriosa investida no comércio local.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da