Pular para o conteúdo principal

Projeto do Arquivo Público do RS sobre Câmaras Municipais


A nossa memória pré-republicana

Arquivo Público do Estado resgata primeiras câmaras de vereadores
Paço Municipal (ao fundo) no Século XVIII: Prédio abrigou a Câmara de Vereadores pré-republicanaPaço Municipal (ao fundo) no Século XVIII: Prédio abrigou a Câmara de Vereadores pré-republicana

Uma iniciativa do Arquivo Público do Estado deve resgatar a memória dos 58 municípios gaúchos que tinham câmaras de vereadores antes de 15 de novembro de 1889, data em que foi proclamada a República no Brasil. Cachoeira do Sul confirmou participação no projeto, que interligará virtualmente o acervo histórico das cidades pré-republicanas.
A diretora do Arquivo Histórico Municipal, Ione Carlos, juntamente com a professora Maria Lúcia Mór Castagnino, participou do lançamento da proposta na última sexta-feira, em Porto Alegre. Quinto município a ser criado no estado, Cachoeira do Sul, instalado em 5 de agosto de 1820, tem papel importante no processo de resgate das câmaras de vereadores que existiam antes da República. “Daqui se originaram a maioria dos municípios do Centro-Oeste,” lembrou Ione Carlos.
FONTE
 A importância histórica do acervo disponível em Cachoeira do Sul é tão expressiva que outras cidades, como Alegrete, o usaram como fonte para recuperar sua memória. Ione destacou que as câmaras de vereadores instaladas antes da era republicana desempenhavam funções bem distintas das atuais. “Elas tinham atribuições administrativas,” completou a professora.
Apesar de tudo o que já se sabe sobre o passado pré-republicano de municípios como Cachoeira do Sul, ainda há muito que se desvendar, acreditam os idealizadores do projeto lançado pelo Arquivo Público do Rio Grande do Sul, órgão ligado diretamente à administração pública estadual.
Conforme Ione Carlos alguns dos 58 municípios pré-republicanos sequer possuem acervos sobre seu passado. A maioria deles não enviou representantes para o encontro de lançamento do projeto do Arquivo  Público estadual. “Não havia mais que 20 representantes de municípios no encontro de sexta-feira,” destacou Ione. 
Portanto, além de resgatar a memória pré-republicana de algumas cidades, a proposta apresentada pelo Arquivo estadual pretende criar espaços de acesso público para que ela seja mostrada à população. A próxima reunião de trabalho do projeto das câmaras pré-republicana ainda será agendada para o início de 2013
CACHOEIRA PRÉ-REPUBLICANA
A trajetória do município até 1989
1779 - Cachoeira deixa a condição de capela e se torna freguesia
1800 – Surge a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira.
1819 – A Freguesia foi elevada à condição de “Villa” por ordem do rei Dom João VI. Surgia a Vila Nova de São João da Cachoeira.
1820 – No dia de 5 de agosto foi oficialmente instalado o novo município, o quinto a ser criado no estado.
1865 – Em plena era imperial, concluía-se a construção do prédio do Paço Municipal, que foi entregue à Câmara de Vereadores.
1857 – Chegam os primeiros imigrantes alemães ao município.
1877 – As primeira família de imigrantes italianas se instalam no município.
1859 – No dia 15 de dezembro Cachoeira é reconhecida como cidade por meio de lei.
1860 – Na sessão da Câmara do dia 10 de janeiro é realizada a solenidade da elevação do município à condição de cidade.
1883 – No dia 7 de março a primeira locomotiva passa pelos trilhos de Cachoeira do Sul.
Fonte: Arquivo Histórico Municipal
Este artigo foi postado na edição digital, de 28 de novembro de 2012, do Jornal do Povo. Tratou do projeto "Um debate sobre o papel das Câmaras Municipais, período colonial e imperial no RS: sua produção documental arquivística", trabalho desenvolvido pelo Arquivo Público do RS e pelo Arquivo Municipal Moysés Vellinho de POA. Ione Maria Sanmartin Carlos e Maria Lucia Mór Castagnino estiveram presentes na fase I, que correspondeu a um seminário. O convite para que o nosso Arquivo se fizesse presente foi encaminhado ao prefeito municipal, Sérgio Ghignatti, pelo secretário municipal da cultura (Porto Alegre), Sergius Gonzaga.

Comentários

  1. Muito interessante essa ideia do Arquivo Público do RS e, por isso, rendeu notícia.

    ResponderExcluir
  2. Como está hoje, Setembro de 2016, este projeto de ligação entre os Arquivos Históricos Municipais e o Estadual?

    ResponderExcluir
  3. Como está hoje, Setembro de 2016, este projeto de ligação entre os Arquivos Históricos Municipais e o Estadual?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da