Pular para o conteúdo principal

Padres Redentoristas em Cachoeira

A Igreja Santo Antônio é um dos cartões-postais de Cachoeira do Sul, verdadeira joia que brotou do gênio do arquiteto alemão José Lutzenberger.

Projeto do convento e Igreja de Santo Antônio - arquiteto José Lutzenberger
- extraído da publicação Suplemento do Santuário de Aparecida, 1944
Há 70 anos, mais precisamente em fevereiro de 1944, dez anos depois do começo das obras de construção da igreja, tiveram início os trabalhos de conclusão das torres, execução da Companhia Construtora e Organizadora Industrial S.A., que na mesma época estava levantando o prédio que serviria como nova agência do Banco do Brasil, na Rua Sete de Setembro, onde depois funcionou o Clube Independente.

Igreja Santo Antônio com as torres ainda inconclusas,
vista interior do templo e tomada do Colégio Imaculada Conceição
- Suplemento do Santuário de Aparecida, p. 203, 1944
A vinda dos redentoristas para Cachoeira foi um dos marcos da expansão da ordem no Rio Grande do Sul, pois até então eles estavam presentes somente em Pelotas.

Cachoeira, situada no centro do Estado, apresentava posição privilegiada para o estabelecimento de uma igreja e uma casa de missionários, possibilitando ação pastoral em todas as dioceses circunvizinhas. Assim, em novembro de 1921 chegaram os primeiros redentoristas a Cachoeira, vindos de Pelotas: Agostinho Polster e Irmão Melchior. Logo depois chegaram os padres Antão Jorge e Orlando de Morais, ficando todos acomodados em uma pequena moradia junto à Capela de São José, no Alto dos Loretos, até que encontrassem um terreno apropriado para estabelecer o convento, a igreja e uma escola apostólica para vocações. Esta escola chegou a abrigar 25 juvenistas entre 1928 e 1936, ano em que acabou sendo transferida para Pinheiro Machado.

Escola Apostólica, ou antigo convento
- Suplemento do Santuário de Aparecida, 1944
A Igreja Santo Antônio começou a ser construída em 1934, sendo erguida com a ajuda da comunidade. Seu aspecto arquitetônico, em estilo barroco bávaro, mostra apuro estético. Os vitrais, igualmente desenhados por José Lutzenberger, foram doados por várias famílias de tradição católica da cidade.

Hoje, a igreja não pertence mais à congregação redentorista e está sob a orientação dos padres palotinos.

Como se vê, a Igreja Santo Antônio não é apenas um belo cartão-postal de nossa cidade, mas também um legado de empreendedorismo e arte em nome da fé. Sua importância histórica e arquitetônica justificou a inclusão no rol dos bens inventariados do patrimônio histórico-cultural de Cachoeira do Sul em 1989.

Vista aérea geral da Igreja Santo Antônio - foto Robispierre Giuliani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da