quinta-feira, 20 de novembro de 2014 | By: Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul

Padres Redentoristas em Cachoeira

A Igreja Santo Antônio é um dos cartões-postais de Cachoeira do Sul, verdadeira joia que brotou do gênio do arquiteto alemão José Lutzenberger.

Projeto do convento e Igreja de Santo Antônio - arquiteto José Lutzenberger
- extraído da publicação Suplemento do Santuário de Aparecida, 1944
Há 70 anos, mais precisamente em fevereiro de 1944, dez anos depois do começo das obras de construção da igreja, tiveram início os trabalhos de conclusão das torres, execução da Companhia Construtora e Organizadora Industrial S.A., que na mesma época estava levantando o prédio que serviria como nova agência do Banco do Brasil, na Rua Sete de Setembro, onde depois funcionou o Clube Independente.

Igreja Santo Antônio com as torres ainda inconclusas,
vista interior do templo e tomada do Colégio Imaculada Conceição
- Suplemento do Santuário de Aparecida, p. 203, 1944
A vinda dos redentoristas para Cachoeira foi um dos marcos da expansão da ordem no Rio Grande do Sul, pois até então eles estavam presentes somente em Pelotas.

Cachoeira, situada no centro do Estado, apresentava posição privilegiada para o estabelecimento de uma igreja e uma casa de missionários, possibilitando ação pastoral em todas as dioceses circunvizinhas. Assim, em novembro de 1921 chegaram os primeiros redentoristas a Cachoeira, vindos de Pelotas: Agostinho Polster e Irmão Melchior. Logo depois chegaram os padres Antão Jorge e Orlando de Morais, ficando todos acomodados em uma pequena moradia junto à Capela de São José, no Alto dos Loretos, até que encontrassem um terreno apropriado para estabelecer o convento, a igreja e uma escola apostólica para vocações. Esta escola chegou a abrigar 25 juvenistas entre 1928 e 1936, ano em que acabou sendo transferida para Pinheiro Machado.

Escola Apostólica, ou antigo convento
- Suplemento do Santuário de Aparecida, 1944
A Igreja Santo Antônio começou a ser construída em 1934, sendo erguida com a ajuda da comunidade. Seu aspecto arquitetônico, em estilo barroco bávaro, mostra apuro estético. Os vitrais, igualmente desenhados por José Lutzenberger, foram doados por várias famílias de tradição católica da cidade.

Hoje, a igreja não pertence mais à congregação redentorista e está sob a orientação dos padres palotinos.

Como se vê, a Igreja Santo Antônio não é apenas um belo cartão-postal de nossa cidade, mas também um legado de empreendedorismo e arte em nome da fé. Sua importância histórica e arquitetônica justificou a inclusão no rol dos bens inventariados do patrimônio histórico-cultural de Cachoeira do Sul em 1989.

Vista aérea geral da Igreja Santo Antônio - foto Robispierre Giuliani

0 comentários:

Postar um comentário