segunda-feira, 29 de junho de 2015 | By: Arquivo Histórico de Cachoeira do Sul

Proposta para substituição da iluminação pública por novo invento

A iluminação de uma cidade, a exemplo de outros serviços que estão a cargo da administração pública, é boa indicadora do nível de investimento e do estágio de evolução tecnológica atingido pelo município.

Cachoeira experimentou variadas formas de iluminar suas vias e casas. Do acendedor de lampiões às primeiras experiências com luz elétrica, o tempo percorreu dois séculos... E os avanços da ciência aconteciam bem longe daqui!

Uma carta remetida ao presidente e demais vereadores da Câmara, em 6 de maio de 1886, é uma prova das inovações que a segunda metade do século XIX estava atingindo na área.  E também demonstra o interesse que os concessionários do contrato da iluminação pública municipal tinham no investimento em novas tecnologias e no seu repasse comercial.



CM/DA/OM/Caixa 3

Eis o conteúdo:

Os abaixo assignados, concessionarios do contrato da illuminação publica que se faz na Cidade da Cachoeira, participão a distinta corporação Municipal dessa Cidade, que prettendem mudar o actual systema de illuminação a kerozene por outro mais vantajoso e melhor, cujo preço não excede ao kerozene.

O systema de illuminação que os abaixo assignados querem introduzir e substituir pela luz de kerozene he inteiramente novo e desconhecido, pois he uma descuberta ressentem.te feita nos Estados Unidos d'America do Norte.

Sendo necessario sugeitar esta luz e o seo systema a uma experiencia pratica, que traga em rezultado a convicção de que realm.te ella he sup.r a do kerozene, e igual ao gaz carbonico, sem alterar o custo da actual illuminação, os abaixo assignados mandarão buscar nos Estados Unidos um determinado numero de lampiões para, com elles, fazer-se a devida experiencia, sugeitando-a a apreciação dessa Municipalidade, afim de rezolver se convirá ser esta illuminação adoptada. 

Convem que essa Municipalidade não tome rezolução alguma sobre qualquer contracto de illuminação que se prettenda fazer, sem que primeiro seja experimentado e estudado o systema de luz que os abaixo assignados querem adoptar.
E. R. Mce.
Souza & Pinto.

Porto Alegre 6 de Maio 1886
(CM/DA/OM/Ofícios/Caixa 5)

Não foi localizado documento que faça alusão ao atendimento do pedido da empresa Souza & Pinto, impossibilitando que se afirme se houve ou não a experiência. Não obstante, a carta é um interessante documento que prova que os avanços estavam em curso, com nome e endereço, podendo aportar por aqui mediante uma simples assinatura...

(MR)

0 comentários:

Postar um comentário