Pular para o conteúdo principal

Projeto Evolução Histórica da Configuração Urbana de Cachoeira do Sul - Parceria UFSM e Arquivo Histórico

"Para compreender o presente e planejar o futuro, é preciso evocar o passado. Por isso, o estudo da evolução histórica da configuração urbana de Cachoeira do Sul permite compreender a organização e a atual configuração do espaço urbano. Determinadas obras de infraestrutura (como pontes, estradas ou avenidas, estações ferroviárias e/ou rodoviárias), de espaços públicos (ruas, praças e parques) e de espaços privados (lotes, residências, indústrias e/ou locais de trabalho, mercados, clubes, cinemas e equipamentos urbanos em geral) dão a conhecer a produção físico-espacial e as suas formas de uso pelos citadinos, a identificar as centralidades, as direções da expansão urbana em relação a períodos da produção econômica e a atuação do poder público enquanto promotor de melhorias urbanas, da elaboração de planos diretores e de aprovações de loteamentos. Assim, épocas ou períodos são analisados mediante as transformações do processo de desenvolvimento físico-espacial, sociocultural, político-econômico, técnico-construtivo e estético do espaço arquitetônico e urbanístico.”

Com estas palavras a Profª Msc. Letícia de Castro Gabriel, do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Maria, Campus Cachoeira do Sul, caracterizou e justificou o projeto de pesquisa coordenado por ela e intitulado Evolução Histórica da Configuração Urbana de Cachoeira do Sul. Em sua primeira etapa de desenvolvimento, o trabalho envolve acadêmicos e os profissionais do Arquivo Histórico visando à organização do acervo de plantas, mapas e projetos arquitetônicos que integram o acervo da instituição.



Equipe do Arquivo Histórico reunida com os alunos
e a coordenadora do projeto, Prof.ª Ms. Letícia de Castro Gabriel

Reunião entre a Prof.ª Ms. Letícia Gabriel e equipe do Arquivo Histórico
com a presença dos alunos voluntários do Curso de Arquitetura - UFSM
para tratativas de desenvolvimento do projeto

Depois de devidamente identificados e catalogados, os materiais poderão ser disponibilizados para pesquisa e auxiliarão, já em uma segunda etapa e com a participação de demais professores da UFSM-CS, na análise da evolução histórica da configuração urbana da cidade, contribuindo para a compreensão do processo de crescimento e seu efeito sobre a paisagem urbana. Mas os benefícios do projeto não se restringem ao universo acadêmico, mas também proporcionarão à comunidade em geral, a estudantes e pesquisadores de outras áreas o acesso a informações importantes sobre aspectos físicos, geográficos e urbanos do município de Cachoeira do Sul.


Projeto arquitetônico do Clube Comercial - localizado dentre os materiais
a serem identificados e organizados pelos acadêmicos

Projeto do Hospital da Liga Operária



Acadêmicos na tarefa de identificar e selecionar
plantas, mapas e projetos

A equipe do Arquivo Histórico celebra a parceria estabelecida com o Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSM porque em breve, graças ao auxílio dos acadêmicos voluntários Andreza Oliveira Nunes, Gustavo Severo, Mariana Ferrigo Flores e Schayane Dias, este rico material, ora pouco explorado e em parte ainda sem identificação, constituir-se-á em mais uma importante ferramenta para cumprimento dos objetivos da instituição, quais sejam os de preservar, organizar e difundir documentos históricos. Os acadêmicos serão assistidos em sua tarefa de organizar o acervo pela assessora técnica Neiva Ester Corrêa Köhler.

Comentários

  1. Bravo!!! Parabéns a Professora Letícia, seus alunos voluntários e a toda equipe do Arquivo de Cachoeira! Que este "mergulho" na história da formação urbana de Cachoeira traga consigo todas as ligações com as possibilidades de melhorias futuras a serem promovidas pelos moradores da cidade trazendo a harmonia e o embelezamento da cidade que queremos viver.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da