Pular para o conteúdo principal

Primeira professora nomeada em Cachoeira

Uma das datas mais lembradas do mês de outubro é o Dia do Professor, celebrado em 15. Ainda que os professores enfrentem diariamente duros desafios e a sociedade não volva para eles o olhar de respeito que era regra no passado, o valor de sua função seguirá inquestionável. 

A história da educação no Rio Grande do Sul é um capítulo à parte. Foi tardia tal qual a ocupação definitiva do território pelos portugueses. E para complicar mais a sua efetiva aplicação, o estado sofreu durante 10 longos anos as agruras da Revolução Farroupilha, época em que nada, ou quase nada, funcionou.

Para provar esta situação, os anais da história mostram que o exame a que foi submetida a primeira candidata à professora pública da Vila Nova de São João da Cachoeira só foi ocorrer em 22 de outubro de 1838, 17 anos após a criação das primeiras aulas públicas. Homens na profissão já havia, como comprova a ata da sessão da Câmara Municipal, realizada naquele dia 22 de outubro, e que relata o exame a que foi submetida a candidata Anna Francisca Rodrigues Pereira, avaliada pelos professores Manoel Alves Ribeiro e Manoel Gonsalves Borges: 

A' hora dezignada se reunirão seis senhores vereadores, para effeito de aSsistirem ao exame de primeiras letras pelo methodo de Lencaster*, e de Gramatica Nacional, de dona Anna Francisca Rodrigues Pereira, filha de João Batista Rodrigues, natural desta Villa; e comparecendo a mesma, com aSistencia de seu Pae, João Baptista [sic] Rodrigues, e Manoel Alves Ribeiro, Proffessor Publico, e Manoel Gonsalves Borges, Proffessor particular de primeiras letras, examinadores nomeados pela Camara, procederão ao refirido exame com a sollenmnidade da leÿ, e houverão a examinanda por examinada de ler, escrever, e contar, e de Gramatica Nacional, pelo methodo referido, em vista do que deleberou a Camara deste acto se lavraSse o competente termo no livro respectivo. [...]

[Assinaturas] Joze Roiz de Moraes
Lucas Joze Duarte
Jozé Custodio Coelho Leal
Jacinto Lopes Falcão
Fran.co de Barros Lima
Gonçalo Teixr.ª de Carv.º

Ata da sessão de 22/10/1838 - CM/OF/A-004, fl. 220v

Conclusão da ata de 22/10/1838 - CM/OF/A-004, fl. 221
Ana Francisca Rodrigues Pereira só foi nomeada professora de primeiras letras dez anos depois, no dia 1.º de agosto de 1848, quando a Revolução Farroupilha já havia terminado. Ela estabeleceu uma aula de meninas no sobrado que pertencia ao seu sogro, Manoel José Pereira da Silva, localizado na Rua Moron, onde, dois anos mais tarde, lecionava para 23 meninas.

Aula de Meninas - Rua Moron - Acervo COMPAHC

Relembrando a professora Ana Francisca Rodrigues Pereira e os desafios que enfrentou para desempenhar suas importantes funções, o Arquivo Histórico presta sua homenagem a todos os professores, especialmente aqueles que acreditam na importância da educação e no seu papel transformador da realidade.

*Método Lancaster: concebido pelo inglês Joseph Lancaster (1788-1838), consistia na utilização de alunos mais adiantados nos estudos como monitores dos demais.

MR

Comentários

  1. Ah! método Lancaster! como custei para achar um livro que me esclarecesse!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da