Pular para o conteúdo principal

17 de fevereiro de 1939: primeiro aniversário da "Casa dos Astros"

Em 17 de fevereiro de 1939, a cidade comemorou, com pompa e alegria, o primeiro aniversário do grandioso, moderno e apreciadíssimo Cine-Teatro Coliseu. Desde a inauguração, aquela casa de espetáculos tinha definitivamente conquistado os cachoeirenses que lotavam as diferentes sessões e transformavam o coração da Rua Sete de Setembro em ponto de encontro e de grande circulação.

O jornal O Comércio do dia 22 de fevereiro de 1939 traz a notícia:

Jornal O Comércio, 22/2/1939, p. 1
Acervo de Imprensa do AH

O 1.º anniversario da "Casa dos Astros"
A's 5 horas de 17 de Fevereiro de 1938, Cachoeira, a "Cidade Formosa", assistia "São Francisco a Cidade do Peccado", através á téla do novo e magestoso Cine-Theatro Coliseu, dentro do qual havia o perfume da graça, a elegancia da arte e a imponencia do bello.

Com chave de ouro se festejava, então, o inicio da actuação da "Casa dos Astros".

Agora que decorre um anno, a sua commemoração constituiu um acontecimento de invulgar brilhantismo, a qual se verificou sexta-feira passada.

A fachada ornamentada com harmonia e arte, onde se viam em combinações de luzes, expressivos dizeres, chamava a attenção de todos, despertando, tambem, enthusiasticos commentarios, o hall e outras dependencias do Theatro pela precisa e bella disposição dos quadros e vasos com folhagens, ornamentação essa que foi feita sob a orientação do pintor-amador, sr. Luiz Figueiredo.

O film escolhido para esse dia, - "Heidi" - foi assistido  por uma grandiosa assistencia e culminou num extraordinario successo, pois para assim acontecer, a Empreza nos brindou o sorriso e a graça de Shirley Temple, a estupenda artista.

Depois do espetaculo cinematographico, os srs. Henrique Commasseto e Algemiro Carvalho ofereceram em sua residencia, champagne e outros finos liquidos e doces ás numerosas pessoas que os foram felicitar.

Aquelles proprietarios do Cine-Theatro tambem receberam muitos telegrammas e phonogrammas de felicitações, tanto desta cidade como das outras do Estado.

Fachada do Cine-Theatro Coliseu engalanada para o 1.º aniversário
- Fototeca Museu Municipal
Hall do Coliseu adornado por Luiz Figueiredo para o 1.º aniversário
- Fototeca Museu Municipal

Como bem demonstra a matéria jornalística pela farta adjetivação e descrição do ambiente festivo, o primeiro aniversário do empreendimento de Henrique Commasseto e Algemiro Carvalho foi tão impactante como havia sido a inauguração do Cine-Teatro Coliseu, um ano antes. Da mesma forma que em 1938 o filme inaugural trazia como principal ator o então grande astro Clark Gable, no primeiro aniversário também a "fita" era estrelada pela pequena atriz-prodígio, Shirley Temple, justificando assim a alcunha de "Casa dos Astros", empregada pelo jornal.

Shirley Temple e Jean Hersholt - Heidi , 20th Century Fox - 1937
- Pinterest
Nos dias de hoje, quando o que restou do pomposo e imponente prédio do Coliseu estava a despertar a ira de alguns e a compaixão de outros, eis que a luz da renovação anunciada pela sua restauração vem de animar e revitalizar uma das páginas mais alegres e saudosas da nossa história.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da