Pular para o conteúdo principal

Mulheres em pauta

Apesar de todas as conquistas das mulheres nos mais diversos segmentos, ainda pouco se fala de seu papel na história, porque a elas sempre foi relegada posição secundária na sociedade. Mas em todas as épocas mulheres se destacaram, rompendo barreiras e fazendo a diferença.

Na história de Cachoeira houve muitas mulheres protagonistas, como Clarinda Francisca Porto da Fontoura (1814-1877), a esposa do Comendador Antônio Vicente da Fontoura, que tocou a vida da família sem a presença do marido na maior parte do decênio farroupilha; como Cândida Fortes Brandão (1862-1922), a primeira professora de Cachoeira formada pela Escola Normal de Porto Alegre e que para lá foi sozinha estudar; e mais recentemente, a museóloga Lya Wilhelm  (1928-2013) que imprimiu uma marca impressionante no cenário cultural de Cachoeira do Sul.

Fototeca Museu Municipal

A música, para citar apenas um dos segmentos de atuação assertiva das mulheres, foi espaço ocupado por elas com muita personalidade. Maria de Lourdes Figueiró, Lise Santos, Dinah Néri Pereira, Rita de Cássia Fernandes Barbosa foram expressões da área. Nas artes, idem, começando pela ceramista Hilda Goltz, uma precursora da arte da fotografia em Cachoeira, com ateliê próprio, e depois introdutora da cadeira de cerâmica na Escola Nacional de Belas Artes. Fez história fora de sua terra natal, deixando como marca uma personalidade à frente de seu tempo.

Busto da pianista Rita de Cássia Fernandes Barbosa
- Acervo do Museu Municipal

Fototeca Museu Municipal

Inúmeras são as mulheres que orgulham esta terra, desde as que granjearam sucesso em suas áreas de atuação e deixaram obras a serem admiradas quanto as que desempenharam e ainda desenvolvem atividades corriqueiras, sem o glamour da fama ou do reconhecimento público.

Trabalhadora com filhos - Fototeca Museu Municipal

Às mulheres cabem vários e simultâneos papéis, razão de terem um dia do ano inteirinho em sua homenagem.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da