Pular para o conteúdo principal

Banco do Brasil - 100 anos em Cachoeira

Desde 5 de maio de 1919 que Cachoeira conta com uma agência do Banco do Brasil. Tal era a importância da cidade que, há 100 anos, considerando o tamanho do país e as cidades concorrentes em desenvolvimento e tamanho, que o Banco do Brasil voltou os interesses para Cachoeira, nela abrindo a sua 42.ª agência. 

O jornal O Commercio do dia 7 de maio de 1919 deu detalhes da inauguração da agência na cidade:

Notícia n'O Commercio - 7/5/1919, p. 2
Banco do Brasil. - Ante-hontem, 5 de Maio, foi inaugurada a agencia bancaria, recentemente creada nesta cidade pelo Banco do Brasil, conceituada instituição de credito que tem a Matriz no Rio de Janeiro.
A's duas horas da tarde, com a presença de commerciantes, industrialistas, proprietarios, representantes da autoridade municipal e da imprensa local, bem como de collegas das instituições congeneres locaes, foi servida uma taça de champagne.
Em seguida o sr. Celso Galvão, contador da nova agencia, agradeceu o comparecimento dos presentes ao acto inaugural.
Após algum tempo de palestra com o contador e com o gerente do novo estabelecimento, situado á travessa 24 de Maio (proximidades da rua 7 de Setembro) funccionarios que dispensaram muitas atenções aos visitantes, retiraram-se estes, pelas 3 horas.
O Banco do Brasil tem agencias em todos os Estados da Republica, e, neste Estado, possue agencias em Porto Alegre, Pelotas, Rio Grande e Sant'Anna do Livramento.*
Pela organização do mencionado banco, as agencias tèm a mesma importancia e fazem transacções como as filiaes dos bancos rio-grandenses.
O pessoal actual consta do gerente, do contador e do porteiro; mas em breve será augmentado com a chegada de alguns funccionarios que são esperados do Rio de Janeiro.
Noticiando sua inauguração, feita com singeleza e modestia, fazemos votos pela prosperidade da agencia do Banco do Brasil.

*O Commercio deixou de citar Bagé na relação das cidades gaúchas que possuíam agências do Banco do Brasi à época. 

A agência cachoeirense cresceu em negócios e correntistas. Naturalmente com a sua expansão, também foi necessário ampliar a área de atendimento. Em 1920, o banco transferiu-se para a Rua Sete de Setembro, na quadra em que depois foi erguido o Cine-Teatro Coliseu (não há registro fotográfico desse endereço). 

Primeira sede do BB - 1919 - Rua 24 de Maio (atual Dr. Sílvio Scopel)
Fototeca Museu Municipal
Com o fechamento da loja Knorr & Eisner, em 1924 o Banco do Brasil adquiriu o seu prédio, fez as reformas necessárias, sob a coordenação do engenheiro-construtor Santiago Borba, e nele se instalou, permanecendo no endereço até o final de 1945. A agência funcionava no pavimento inferior, onde foi construída a casa forte, sendo o andar superior destinado para residência do gerente e do contador.

Terceira sede do BB - 1924 a 1945 - Fototeca Museu Municipal
Com o incremento da atuação local do Banco do Brasil e pelas necessidades de atendimento das novas demandas, em 7 de janeiro de 1946 foi inaugurada a quarta sede, a primeira a ser construída especialmente para o banco, localizada na esquina da Rua Sete de Setembro com Presidente Vargas.

Quarta sede do BB - 1946 até década de 1970 - Rua Sete com Presidente Vargas
Fototeca Museu Municipal
Finalmente, na década de 1970, um edifício inteiro foi construído para abrigar todas as dependências necessárias para atender às rotinas da época. Nesta sede o Banco do Brasil se conserva até hoje.

Agência atual do Banco do Brasil - Fototeca Museu Municipal
Em 4 de março de 1991, acompanhando o desenvolvimento da cidade para a zona norte, foi inaugurada a segunda agência local, na Avenida Brasil. 

Há 100 anos o Banco do Brasil participa da vida da cidade e do campo. Não só financiamentos e investimentos pautam sua atuação. Também projetos sociais e de interesse comunitário têm no Banco do Brasil a parceria importante para o desenvolvimento não só econômico, mas também social da comunidade cachoeirense.

Parabéns a todos que desde 1919 escrevem esta história!

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da