Pular para o conteúdo principal

Bomba para a primeira hidráulica

A grande obra de 1921 foi a construção da primeira hidráulica. Para a sua execução e funcionamento, a municipalidade empregou esforço logístico e financeiro. 

Em 5 de fevereiro de 1921, a Intendência Municipal celebrou contrato com a Agência Bromberg de Cachoeira para aquisição de uma bomba hidráulica e o respectivo motor elétrico para acioná-la. 

A Agência Bromberg era uma das mais importantes importadoras de máquinas e equipamentos e estava instalada em Cachoeira desde o ano de 1912. 

Agência Bromberg - Rua Saldanha Marinho - Museu Municipal

Rezava o contrato:

Termo de contracto que fazem a Intendencia Municipal, representada pelo doutor Annibal Lopes Loureiro, intendente municipal em exercicio e o Snr Guilherme Iken, gerente da Agencia Bromberg desta cidade, com bastantes poderes delegados pela casa Bromberg & Cia, em nome e sobre a responsabilidade da qual assigna o presente contracto.

Aos cinco dias do mez de Fevereiro do anno de mil novecentos e vinte e um, na secretaria da Intendencia Municipal de Cachoeira, presente o senhor doutor Annibal Lopes Loureiro de uma parte e o senhor Guilherme Iken, de outra, foi entre ambos accordado e celebrado o presente contracto para fornecimento ao primeiro contractante de uma bomba hydraulica e respectivo motor electrico.
Clausula I
O segundo contractante, senhor Guilherme Iken, pela casa Bromberg & Cia, compromette-se a fornecer á Municipalidade dentro do prazo de dois meses, salvo caso de força maior como greves, retenção na alfandega, naufragio ou descarrilamento, um grupo composto de uma bomba a piston, triplex, Worthington, para uma capacidade de (30.000) trinta mil litros por hora, recalcados n'uma altura de sessenta metros, com as seguintes caracteristicas, typo Zyklon com tres embolos de seis polegadas por oito, os cylindros da bomba são de ferro, os aneis dos embolos, prensa-galhetas, valvulas e suas redes são de metal; o motor electrico para corrente continua, quatrocentos e quarenta volts, onze cavallos é accoplado directamente á bomba por meio d'uma roda engrenada de dentes fresados; a ligação de aspiração da bomba é de cinco polegadas e a de recalque de quatro polegadas. A bomba poderá vencer uma pressão ate onze atmospheras. Acompanhará este jogo de machinas um quadro de marmore com interruptor, seguranças, ampéremetro e rheostato. 
Clausula II
O segundo contractante põe estas machinas em Cachoeira, sendo o preço, em peso ouro argentino, de $2.675, posto em Porto Alegre, sem direitos de alfandega; o frete ate Cachoeira e despezas de despacho correm por conta da Municipalidade desde Porto Alegre. A Municipalidade obriga-se a procurar obter a isenção dos direitos de importação.
Clausula III
O primeiro contractante fará entrega da metade da quantia acima ao cambio do dia, no acto da encommenda, um quarto do valor, no acto da entrega da machina á Municipalidade e o restante com as despezas a mais previstas na clausula anterior a noventa dias contra saque.
Resolvo nesta pagina sessenta e oito, alinea terceira em vez de: no acto da encommenda leia-se no acto da assignatura deste contracto.
E assim depois de lido e achado conforme, ambos os contractantes ajustaram cumpril-o á lettra e fielmente respeitál-o, em fé do que, na presença das testemunhas infrascriptas assignam de proprio punho o presente contracto. Eu, João Protasio Pereira da Costa, engenheiro chefe da secção de Obras Publicas do Municipio o escrevi. E eu, Mario Godoy Ilha, secretario do Municipio, o subscrevi e assigno. 
[assinaturas sobre estampilhas]  Annibal Lopes Loureiro
pp. Bromberg & Cia Guilherme Iken

José Mariné
João Protasio Pereira da Costa


Contrato celebrado entre Intendência e  Agência Bromberg
com assinaturas sobre estampilhas
- IM/GI/AB/C-003, fls. 67v e 68

Para marcar o ano do centenário da primeira hidráulica municipal, o blog publicará, mensalmente, notícia ou fato relacionado às obras, reconstituindo passo a passo esse importante marco na história do saneamento de Cachoeira. Essa reconstituição se faz possível graças ao acervo documental e de imprensa disponíveis no Arquivo Histórico. Em janeiro, foi publicado o lançamento da pedra fundamental da primeira hidráulica.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bar América - plantas no acervo do Arquivo Histórico

A notícia de obras de recuperação e melhoria do Bar América para nele ser instalada a futura Secretaria Municipal da Cultura faz renascer a esperança de ver aquela parte nobre da Praça José Bonifácio revitalizada e, ao mesmo tempo, viabilizar espaço e melhores condições à valiosíssima área cultural do município.  A história do Bar América remonta ao ano de 1943, quando a imprensa noticiou que a Prefeitura Municipal pretendia construir um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. Assim noticiou o jornal O Comércio , de 17 de março daquele ano: A Praça José Bonifácio será dotada de um quiosque-bar Faz parte do programa de reforma da cidade, desde o calçamento das principais ruas, a construção de um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. De tempos em tempos, o nosso Governo Municipal faz publicar editais de concurrencia publica para a construção e exploração de um bar naquele local, mas estes não apareciam. Agora, foi posta em fóco novamente a questão e apresentou-se um único candidato, que en

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta. O Commercio , 24/6/1931, p. 1 Folheando as páginas dos jornais O Commercio  e Jornal do Povo  da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931: O Commercio, 8/7/1931, p. 1 Casas Pernambucanas. - Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado ne

A Ponte do Passo Geral do Jacuí

O Passo Geral do Jacuí, localizado a 30 km da cidade de Cachoeira do Sul, pela estrada de rodagem e, cerca de 40 km pelo leito do rio Jacuí, foi um dos caminhos de ligação entre Rio Pardo e a Região da Fronteira Oeste e Planalto, em tempos de paz e de Guerra Farroupilha. Terminada a Revolução Farroupilha, com a pacificação de Ponche Verde, a Província, governada por Caxias, volta-se para as obras e a prosperidade do Rio Grande do Sul. Em 8 de abril de 1846, por decreto, é apresentado o projeto para esse desenvolvimento e nele incluída a construção de uma ponte sobre o Passo Geral do Jacuí. Uma obra necessária e vital para agilizar a ligação entre os principais núcleos urbanos, servidos pelo rio Jacuí e a comercialização dos produtos e riquezas entre regiões Leste e Oeste da Província. Sua construção foi contratada pelo empreiteiro Ferminiano Pereira Soares, em 1848, pela quantia de 250 contos de réis, paga em seis prestações e num prazo contratual de cinco anos. (Ferminiano co