Pular para o conteúdo principal

Ponte do Jacuí

A Ponte do Jacuí, uma das obras mais demoradas e cheia de percalços da nossa história, estava fadada a não funcionar desde que começou a ser planejada. Depois de mais de duas décadas da concorrência para a sua construção, que se deu em 13 de julho de 1849, vencendo Ferminiano Pereira Soares a licitação, só em 1871 ela foi concluída por outro empreiteiro, Giuseppe Obino. 

Pilares da Ponte do Jacuí - foto Méia Albuquerque


De uso efetivo, a Ponte do Jacuí perfez o período de 1871 a 1894, quando um incêndio de seu leito, atribuído a revolucionários, decretou a sua inutilidade.

Logicamente que a supressão de tão importante meio de circulação e acesso causou na municipalidade sérias consequências, especialmente na economia da região.

Em 25 de setembro de 1900, um documento da Secretaria de Negócios das Obras Públicas do Estado do Rio Grande do Sul referiu necessidade de conserto na ponte, ficando a cargo do município de Cachoeira a sua conservação. No ano seguinte, a 23 de março, a mesma secretaria estadual fez nova solicitação à Intendência, pois já era visível o desmoronamento de um pilar, sendo notória a falta de reboco junto à sapata.

Provavelmente nada foi feito, pois em 11 de dezembro de 1906, o intendente do município foi informado ter o estado contratado reparos provisórios, dependendo o início das obras da chegada das madeiras necessárias que deveriam ser adquiridas pela municipalidade.

Quatro anos depois, em 2 de abril de 1910, o secretário de Estado dos Negócios das Obras Públicas oficiou a Intendência de Cachoeira informando que havia mandado fazer um exame da Ponte do Jacuí para as devidas providências de conserto, relembrando ao intendente que a madeira a ser fornecida deveria ser cortada de maio em diante até julho.

 

Ofício de 2/4/1910 - IM/OPV/CCP/Ofícios - Caixa 16


Em 23 de julho, o estado comunicou que devido ao fato de montar a uma quantia elevada o corte e falquejo da madeira a obra não poderia ser providenciada... 


Ofício de 23/7/1910 - IM/OPV/CCP/Ofícios - Caixa 16


Na imprensa local, seguidamente havia queixas da população pelo abandono da ponte e a extrema necessidade de sua recuperação. A respeito disso, assim publicou o Rio Grande de 20 de setembro de 1911, em sua página dois:

Ponte do Jacuhy. Attendendo as justas reclamações do povo, a directoria da viação da Secretaria de Obras Publicas está providenciando para a substituição da superestructora de madeira da ponte do rio Jacuhy por outra metalica. É esta a mais intensa aspiração dos moradores do nosso municipio cuju [sic] transito por esta ponte impõe-se como uma das mais imperiosas necessidades. Registrando esta nova o Rio Grande que servindo de echo ao povo dirigiu em suas columnas esta justa reclamação ao benemerito governo do Estado, satisfeito, deseja que esses trabalhos sejam activados o mais breve possivel.

O resto da história todos nós sabemos. Como o dito popular: "Nem mel, nem porongo".

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da