Pular para o conteúdo principal

Ainda sobre o centenário da Hidráulica Municipal

O acontecimento da inauguração da Hidráulica Municipal, ocorrido em 20 de setembro de 1921, teve grande repercussão pela relevância da obra para a cidade. 

Às vésperas, o intendente Annibal Loureiro encaminhou convite ao presidente e membros do Conselho Municipal (equivale hoje à Câmara de Vereadores) para que se fizessem presentes aos atos inaugurais:

Illm.º Snr. Presidente e mais membros do Conselho Municipal.

Tenho o prazer de convidar-vos para assistirdes á inauguração da Hydraulica Municipal, que se realizará amanhã ás 15 horas, no recinto a rua D. Luiza e das obras de remodelação do Mercado Publico, ás 17 horas.

Para maior solemnidade desses actos, espero o vosso comparecimento.

Saúde e fraternidade.

Annibal Loureiro

Intendente Municipal.

Convite aos conselheiros municipais - 19/9/1921 - IM/CM/SE/CR - Cx. 9


No dia da inauguração, o jornal O Commercio deu a seguinte notícia, à página 2:

Inauguração das obras hydraulicas para o abastecimento d'água á cidade

 Inauguram-se hoje, 1.º anniversario da administração do Sr. Dr. Annibal Loureiro, as obras hydraulicas destinadas ao abastecimento d’água a esta cidade.

O acto constará de duas solemnidades, realisadas, uma, no recinto da propria hydraulica, ás 15 horas, e outra, no interior do Mercado, antes de ter inicio a kermesse em beneficio do Hospital de Caridade.

Em ambos falará o sr. dr. Intendente que entregará a agua ao consumo publico.

No proximo numero, faremos detalhada descripção desses serviços.

Congratulamo-nos com a população por esse extraordinario melhoramento reclamado há muito pela cidade.

Notícia dos atos inaugurais - O Commercio, 20/9/1921, p. 2

Na mesma edição do jornal, inclusive na mesma página, notícia sobre os testes procedidos no equipamento da Hidráulica:

Notícia sobre os testes preliminares da Hidráulica 
- O Commercio, 20/9/1921, p. 2


A' tarde de sabbado ultimo foram feitas as primeiras experiencias da Hydraulica Municipal, para lavagem dos canos respectivos.

Defronte á Avenida das Paineiras e ao Hotel do Commercio, á rua 7 de Setembro, onde jorrava agua dos canos, reuniram-se muitos curiosos, que apreciavam e commentavam, com satisfação, o auspicioso facto da realidade do novo serviço, incontestavelmente de grande utilidade para a nossa cidade.

Hoje mesmo será inaugurado o serviço, acto para o qual recebemos o seguinte convite:

Intendencia Municipal de Cachoeira

19 de Setembro de 1921

Illmos. Sns. Directores d'"O COMMERCIO"

N. Cidade

Tenho a honra de convidar-vos para assistirdes a inauguração da Hydraulica Municipal, que se realisará amanhã, ás 15 horas, no recinto situado á rua D. Luiza, e bem assim das obras de remodelação do Mercado Publico, ás 17 horas.

Para maior solemnidade desses actos, conto com o vosso comparecimento.

Saúde e fraternidade

Annibal Loureiro

Intendente Municipal


Para dar uma ideia aos leitores de nosso blog sobre a repercussão das obras inauguradas em 20 de setembro de 1921, transcrevemos aqui parte da grande matéria publicada pelo O Commercio, na edição do dia 28 de setembro:

Manchetes d'O Commercio dando novas sobre as inaugurações de 20/9/1921 - Edição de 28/9/1921


Inauguração - 20/9/1921 - Foto Benjamin Camozato


20 DE SETEMBRO

A commemoração da passagem do primeiro anno da administração do dr. Annibal Loureiro -Inauguração das obras do abastecimento d’agua á população – Reunião do Conselho Municipal – O Mercado Publico remodelado – A brilhante kermesse pró-Hospital de Caridade – O Collegio Elementar Antonio Vicente da Fontoura – Varias notas

 Ha muitos annos que não viamos a multidão se associar tão espontaneamente ás festividades de caacter official e civico como aconteceu no dia 20 de Setembro, onde a população em peso acorreu á inauguração das importantes obras executadas e com calor sagrou a passagem do primeiro anno de administração do nosso illustre, operoso e esforçado edil, dr. Annibal Loureiro.

De fato havia razão e razão de sobra para o povo estar jubiloso, pois uma parte do brilho que á administração municipal vem imprimindo s. exa., reflecte-se directamente sobre essa gleba de trabalho e progresso e é um exemplo poderoso para todas as municipalidades do Estado.

Sem reclames, nem alardes, laboriosamente, intelligentemente, s. exa., estudando cuidadosamente os orçamentos do municipio e analysando as fontes de despeza com clareza e precisão, de tal modo assenhoreou-se da marcha do organismo administrativo que, sem prejuizo para nenhuma especie de serviço em andamento, executou obras em estradas, ruas, proprios municipaes e ainda aplicou, sem divida nem onus de qualquer natureza, a vultuosa quantia de 200:000$000 em obras de caacter inadiavel e urgente, vencendo velhas praxes e commodos systemas, quaes os de fazer obras com o auxilio de avultados emprestimos que realmente dão brilho a uma administração, mas oneram e sobrecarregam com a amortização da divida aos seus successores, cuja actividade, de tal modo, é reduzida pela necessidade de saldar encargos dos antecessores.

O Commercio, que ha mais de quatro lustros vem se batendo pelos mais vitaes melhoramentos da nossa urbs e do municipio, sente-se hoje feliz em poder descrever as relevantes obras inauguradas, motivo pelo qual congratula-se com a população cachoeirense.

Pelas entusiastas manifestações do jornal O Commercio é possível dimensionar o tanto de grandeza e de progresso que as obras da Hidráulica Municipal representaram para a Cachoeira de 100 anos atrás.

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da