Pular para o conteúdo principal

Biblioteca Pública Municipal "Dr. João Minssen" - 75 anos

No dia 2 de dezembro de 1946 foi criada a Biblioteca Pública Municipal de Cachoeira do Sul, atendendo a uma antiga aspiração da comunidade em ofertar livros e leitura para aqueles que não tinham acesso às bibliotecas de associações, clubes e entidades.

Biblioteca Pública Municipal "Dr. João Minssen"
- Casa de Cultura Paulo S. V. da Cunha - foto Jorge Ritter -


As discussões começaram a ganhar força entre integrantes do Centro Cultural Cachoeirense, presidido pelo médico Ervin Wolffenbüttel e tendo também como entusiasta Liberato Salzano Vieira da Cunha. O fato é que o prefeito Cyro da Cunha Carlos foi convencido da importância da criação de uma biblioteca municipal de caráter público, providenciando na sua efetivação através do Decreto Lei n.º 59:

Decreto Lei n.º 59

Cria a Biblioteca Municipal, organiza o respectivo quadro

e abre o crédito especial de Cr$ 80.000,00.

O Prefeito Municipal de Cachoeira do Sul, usando das atribuições que lhe confere o art. 12, n.º 1 do Decreto-Lei Federal n.º 1.202, de 8 de abril de 1.939, e de acôrdo com a Resolução n.º 1675/46, de 5 de novembro de 1.946, do Conselho Administrativo do Estado.

Decreta:

Art. 1.º - É instituida a Biblioteca Municipal destinada à consulta publica.

§ Único - O horario do funcionamento da Biblioteca será regulado pelo seu regulamento Interno que disporá, tambem, sobre as atribuições do seu pessoal.

Art. 2.º - O Patrimonio Bibliografico será formado:

I - com as obras que forem adquiridas pela Prefeitura

II - com as obras que forem remetidas à Biblioteca pelos Departamentos públicos ou Institutos Oficiais.

III - com os legados e doações.

Art. 3.º - Para atender os serviços da Biblioteca é criado o seguinte quadro de funcionarios:

1 - Diretor, padrão .................... 17

1 - Bibliotecario, padrão .......... 13

1 - Escriturario, padrão ........... 10

1 - Escriturario, padrão ........... 11

1 - Continuo, padrão ................  8.

Art. 4.º - É aberto sob código 8.34.4, o crédito especial de Cr$ 80.000,00 o qual terá vigencia no corrente e no proximo exercicio de 1.947, e destinado á atender ás despesas com a instalação da Biblioteca.

Art. 5.º - Para atender a despesa de que trata o artigo anterior, servirá de recurso a arrecadação a maior a se verificar no corrente exercicio.

Art. 6.º - Este Decreto-Lei entra em vigor na data da sua publicação, revogadas as desposições em contrario.

Prefeitura Municipal de Cachoeira do Sul, 2 de Dezembro de 1.946.

(as) Cyro da Cunha Carlos

Prefeito

(Livro Registro de Decretos - Prefeitura Municipal - março 1943 a agosto 1947 - Decreto n.º 33, de 4/3/1943 a Decreto de 22/8/1947).


Decreto n.º 59 - Criação da Biblioteca Pública
- Livro Registro de Decretos - 1943 a 1947 - 

A instalação da Biblioteca Pública, no entanto, só se deu em 8 de março de 1947, conforme noticiou o Jornal do Povo em sua edição de 10 de março, p. 3:

Foi inaugurada a Biblioteca Pública

No dia 8 do corrente, foi inaugurada, solenemente, a Biblioteca Pública local.

O ato inaugural foi presidido pelo sr. Prefeito Municipal, Ciro da Cunha Carlos, sob cuja gestão foi creada a Biblioteca e contou com elevado número de presentes, representando as entidades militares, civis, eclesiásticas, além de muitas pessoas gradas. 

Após ter sido cortada a fita simbólica de entrada aos salões do edifício, sito à rua sete de Setembro, esquina da rua Major Eurique, usou da palavra o dr. Sílvio Dutra de Albuquerque, M. D. Secretário do Município, o qual pôs em relevo o valor do esfôrço e dispêndio que representava esta dádiva do poder público à população cachoeirense, esperando que os leitores desta [rasgado] colhessem os melhores [rasgado] [inicia]tiva pela qual [rasgado] tempo.

Disse, ainda, que sentia-se satisfeito em frizar que o atual Prefeito, bem compreendera, desde longo tempo, a necessidade de uma casa como a que estava sendo inaugurada, mas que impedimentos insuperáveis haviam protelado sua realização.

O dr. Sílvio Dutra de Albuquerque encerrou seu discurso, dizendo que tinha plena certeza de que a população de Cachoeira acorreria aos salões de leitura, como a melhor prova da sua correspondência ao empreendimento da administração municipal.

A seguir, usou da palavra, em nome do Rotary Clube de Cachoeira, o dr. Orlando Carlos que agradeceu a prova do interêsse demonstrado pelo govêrno municipal, pondo a disposição da população cachoeirense uma instituição popular, vindo assim, ao encontro de antiga aspiração.

O referido orador acrescentou que era, realmente, uma brilhante efeméride a constar dos anais de nossa cidade.

Ambas as orações foram muito aplaudidas, significando, assim, a justiça dos conceitos emitidos.

A seguir, o diretor da biblioteca, dr. João Minssen, teve ocasião de mostrar o sistema decimal a que obedece a classificação das obras existentes e o método de consultas, assim como as diversas dependências do edifício.

Nossa reportagem, convidada para reportagem, convidada para o ato inaugural, teve ocasião de contestar a presença de elevado número de cachoeirenses que ali compareceram, e que assinaram o livro de atas, demonstrando o seu interesse por tão importante iniciativa dos poderes públicos.

A Biblioteca estará aberta à visitação pública, diariamente, das 15,30 às 18 horas e das 19 às 22 horas.

Após a criação e instalação na primeira sede, à Rua Sete de Setembro esquina Major Ourique, a instituição circulou por outros endereços, sempre na tentativa de cumprir com seu importante papel. Esteve sediada na Rua Sete de Setembro n.º 1121, para onde voltou depois e permanece, na Rua Moron n.º 1352 e, por um breve período, junto às dependências da extinta Caixa Econômica Estadual.

Biblioteca Pública Municipal - sede da Rua Moron - Acervo BPM

Nos seus 75 anos de história, a Biblioteca Pública Municipal, que tomou por patrono o seu primeiro diretor, Dr. João Minssen, conseguiu manter seu ideal de oferecer leitura e oportunidades de contato com o mundo das letras e do conhecimento para várias gerações de cachoeirenses. 

Parabéns a todos que ajudaram a escrever esta história e continuam no desafio diário de manter seu importantíssimo papel!

MR

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968.  Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios.  Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1) Recepcionados na Ponte do Fa

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da