Pular para o conteúdo principal

70 anos da Escola Dr. David Fontoura de Barcelos

Há 70 anos, a Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. David Fontoura de Barcelos nasceu como um grupo escolar municipal. Desde 24 de abril de 1948, quando a escola foi inaugurada, a comunidade do Bairro Barcelos tem sido servida por uma instituição de ensino de relevante papel no desenvolvimento das gerações que por suas dependências passaram.

https://escoladavidbarcelos.wordpress.com/2009/09/
Fachadas da  E.E.E.F. Dr. David Fontoura de Barcelos - Arquivo da escola


A edição do Jornal do Povo de 3 de maio daquele ano de 1948, última página, traz as informações sobre o dia festivo da inauguração daquele educandário:

Criado recentemente por Decreto do govêrno prefeitural, teve lugar dia 24 do corrente, às 9 horas, a solenidade de inauguração do Grupo Escolar "Dr. David Fontoura de Barcellos", sito à Vila Barcelos, nesta cidade, regido pelas professoras Stela Marques e Terezinha Zinn, sob a direção da professora Norma Preussler.
A inauguração oficial, que esteve a cargo do sr. Prefeito, dr. Liberato Salzano Vieira da Cunha, contou com a honrosa presença do Exmo. sr. dr. Danton de Oliveira, Juiz de Direito da 2.ª vara, Mons. Armando Teixeira, Pároco local, industrialista Edwino Schneider, Waldomiro Carvalho Bernardes, Sub Prefeito da séde e professora Alba Carlos Lima, Orientadora do Ensino Municipal, além de grande número de convidados especiais. O ato inaugural obedeceu o seguinte programa:
1.º - Inauguração oficial pelo sr. Prefeito.
2.º - Hino Nacional, cantado pelos alunos.
3.º - Entronização da imagem de Santa Terezinha. Canto "Queremos Deus".
4.º - Saudação ao sr. Prefeito, pelo aluno Darcy Kenel.
5.º - Saudação à Orientadora, professora Alba Carlos Lima pela aluna Yara Barreto.
6.º - Inauguração do retrato do patrono, Dr. = David Fontoura de Barcelos.
7.º - Biografia do patrono.
8.º - A escola, por Galdina Prus.
Após as solenidades programadas, foram os presentes obsequiados com finas bebidas, a todos impressionando a gentileza e a fidalguia das dignas professoras do novel estabelecimento de ensino.

O patrono do então grupo escolar, médico David Fontoura de Barcelos, descendia da família que dava nome à vila Barcelos. Era neto de David Soares de Barcelos, proprietário original das terras que depois constituíram o bairro, e filho de Epaminondas Soares de Barcelos e de Benta Xavier Fontoura.

David Barcelos medicou em Cachoeira por pouco tempo, transferindo-se para São Paulo e depois Porto Alegre, onde faleceu bastante jovem, aos 44 anos, em junho de 1943. No tempo que trabalhou em Cachoeira, integrou o corpo clínico do Hospital de Caridade, juntamente com os colegas médicos Tito Osório Torres, Milan Kras, José Félix Garcia, Sílvio Scopel e Arthur Frederico Decker.

Corpo médico do Hospital - Dr. David F. de Barcelos - 3.º em pé
- Fototeca do Museu Municipal

Apesar de ter sido inaugurada em 24 de abril de 1948, a comunidade escolar comemora o aniversário do educandário em 2 de julho. Em fevereiro de 1957, o governo do estado encampou a escola, deixando a mesma de ser um grupo escolar municipal.
                                                                                                                                                                    MR                                                                                                                           

Comentários

  1. Fiz o Primário nessa Escola. Tenho saudade daquele tempo e dos colegas que tive

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Bar América - plantas no acervo do Arquivo Histórico

A notícia de obras de recuperação e melhoria do Bar América para nele ser instalada a futura Secretaria Municipal da Cultura faz renascer a esperança de ver aquela parte nobre da Praça José Bonifácio revitalizada e, ao mesmo tempo, viabilizar espaço e melhores condições à valiosíssima área cultural do município.  A história do Bar América remonta ao ano de 1943, quando a imprensa noticiou que a Prefeitura Municipal pretendia construir um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. Assim noticiou o jornal O Comércio , de 17 de março daquele ano: A Praça José Bonifácio será dotada de um quiosque-bar Faz parte do programa de reforma da cidade, desde o calçamento das principais ruas, a construção de um quiosque-bar na Praça José Bonifácio. De tempos em tempos, o nosso Governo Municipal faz publicar editais de concurrencia publica para a construção e exploração de um bar naquele local, mas estes não apareciam. Agora, foi posta em fóco novamente a questão e apresentou-se um único candidato, que en

Inauguração das Casas Pernambucanas

A notícia veiculada na imprensa de que em breve as Casas Pernambucanas voltarão a abrir as portas em Cachoeira do Sul despertou a curiosidade e o interesse de buscar informações sobre a instalação da primeira filial dessa popular casa comercial na cidade. Vem do Acervo de Imprensa do Arquivo Histórico a resposta. O Commercio , 24/6/1931, p. 1 Folheando as páginas dos jornais O Commercio  e Jornal do Povo  da década de 1930 e partindo da notícia da inauguração da segunda loja das Casas Pernambucanas em Cachoeira, ocorrida em setembro de 1936, uma rápida volta no tempo levou ao dia 8 de julho de 1931: O Commercio, 8/7/1931, p. 1 Casas Pernambucanas. - Com a presença de exmas. sras., senhoritas e cavalheiros, representantes das autoridades do municipio e da imprensa local, foi inaugurada, ás 10 horas da manhã de quarta-feira ultima, no predio da rua Julio de Castilhos n.º 159, a Filial das Casas Pernambucanas, cuja gerencia está a cargo do sr. José Aquino, muito conhecido e relacionado ne

A Ponte do Passo Geral do Jacuí

O Passo Geral do Jacuí, localizado a 30 km da cidade de Cachoeira do Sul, pela estrada de rodagem e, cerca de 40 km pelo leito do rio Jacuí, foi um dos caminhos de ligação entre Rio Pardo e a Região da Fronteira Oeste e Planalto, em tempos de paz e de Guerra Farroupilha. Terminada a Revolução Farroupilha, com a pacificação de Ponche Verde, a Província, governada por Caxias, volta-se para as obras e a prosperidade do Rio Grande do Sul. Em 8 de abril de 1846, por decreto, é apresentado o projeto para esse desenvolvimento e nele incluída a construção de uma ponte sobre o Passo Geral do Jacuí. Uma obra necessária e vital para agilizar a ligação entre os principais núcleos urbanos, servidos pelo rio Jacuí e a comercialização dos produtos e riquezas entre regiões Leste e Oeste da Província. Sua construção foi contratada pelo empreiteiro Ferminiano Pereira Soares, em 1848, pela quantia de 250 contos de réis, paga em seis prestações e num prazo contratual de cinco anos. (Ferminiano co