Pular para o conteúdo principal

Colégio Estadual Diva Costa Fachin: a primeira escola de área inaugurada no Brasil

No dia 1.º de outubro de 1971, Cachoeira do Sul recebeu autoridades nacionais, estaduais e regionais para inaugurar a primeira escola de área do Rio Grande do Sul e que foi também a primeira do gênero a ter a obra concluída no Brasil. Trata-se do Colégio Estadual Diva Costa Fachin, modelo implantado com recursos do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - PREMEM, instituído pelo Decreto n.º 63.914, de 26/12/1968. 

Colégio Estadual Diva Costa Fachin - Google Earth


A maior autoridade educacional presente àquela solenidade foi Jarbas Passarinho, Ministro da Educação, acompanhado por Euclides Triches, governador, e pelos secretários de Educação, Coronel Mauro Costa Rodrigues, de Interior e Justiça, Octávio Germano, das Obras Públicas, Jorge Englert, e da Fazenda, José Hipólito Campos, além de representantes do Senado, de outros ministérios, estados e municípios. 


Edições do Jornal do Povo noticiando a inauguração da escola (30/9/1971 e 3/10/1971, p. 1)

Recepcionados na Ponte do Fandango, as autoridades e ilustres visitantes foram conduzidos aos prédios das faculdades, no Bairro Santo Antônio, sendo recepcionados com coquetel. Findo esse momento, dirigiram-se ao Clube Comercial, onde foi servido um banquete com cardápio organizado pela Prefeitura Municipal, sendo recebidos com apresentação do Orfeão da 24.ª Delegacia de Educação, sob a regência da professora Eloía Dickow. 

Interessante destacar que o Ministro da Educação, em seu pronunciamento, disse que tinha laços afetivos com o Rio Grande do Sul e com Cachoeira, especialmente por ter aqui servido no 3.º GO-155 e pelo fato de que sua cidade natal, Xapuri, no Acre, foi iluminada graças a locomóveis fabricadas na empresa cachoeirense Mernak.

Para o ato inaugural da escola, marcado para as 15h30, foi programada uma grande concentração de alunos desde a Praça José Bonifácio até a Rua Leopoldo Souza, para que a comitiva de inauguração fosse saudada em sua passagem. 

A inauguração constou de corte da fita por Jarbas Passarinho e Euclides Triches depois da leitura do decreto de denominação, feita por Carlos Salzano Vieira da Cunha, então Subchefe da Casa Civil do Palácio Piratini, quando foi justificada a denominação patronímica da professora Diva Costa Fachin por ter dado ela três filhos educadores ao estado. Depois dos discursos de praxe, sendo orador em nome da comunidade o Dr. Julio Cezar Caspani, foram descerrados os retratos do Presidente Emilio Garrastazu Médici, do governador Euclides Triches e do Ministro da Educação Jarbas Passarinho, na sala da direção, e o da professora Diva Costa Fachin na sala dos professores. 

Cachoeira do Sul ainda receberia outra escola de área, ou polivalente, no ano de 1975, a Escola Liberato Salzano Vieira da Cunha, no Bairro Tupinambá.

O prédio do Colégio Estadual Diva Costa Fachin foi construído pela Construtora Cachoeirense. Há no acervo cartográfico do Arquivo Histórico diversos documentos relativos à obra, incluindo pranchas, orçamentos, correspondências.


Documentos do acervo cartográfico - Construtora Cachoeirense

O Colégio Estadual Diva Costa Fachin completou 50 anos. Por ele passaram professores e estudantes que inauguraram no país um modelo de escola de excelência que preparava os jovens para o trabalho e para a vida na sociedade. As disciplinas ministradas não eram apenas as formais, incluindo técnicas diferentes que capacitavam para o dia a dia e o trabalho: técnicas domésticas, comerciais, industriais, agrícolas.

O programa, iniciado no governo militar, surgiu de um acordo entre o Ministério da Educação e Cultura - MEC e a Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional - USAID. Na inauguração da escola cachoeirense o representante da USAID no Brasil compareceu ao ato.

MR

Comentários

  1. Importante resgate da história da Educação em nossa Cachoeira? Tempos áureos em que educação, alunos e professores eram valorizados. Importante lembrar do protagonismo de Oly da Costa Faccin, nosso Queti, neste destaque para escolas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Rainha do Carnaval de 1952

O carnaval de 1952 foi marcado por uma promoção da ZYF-4, a Rádio Cachoeira do Sul, e Associação Rural, que movimentou toda a cidade: a escolha da rainha dos festejos de Momo. Vamos conhecer esta história pelas páginas do Jornal do Povo : Absoluto êxito aguarda a sensacional iniciativa da ZYF-4 e Associação Rural - Milton Moreira (PRH-2) e a famosa dupla "Felix" da Televisão Tupi  participarão de atraente "show" Cachoeira do Sul viverá sábado à noite o maior acontecimento social dos últimos anos, com a realização do monumental "Garden-Party" promovido pela Rádio Cachoeira do Sul e Associação Rural nos jardins da ZYF-4. Rainha do Carnaval de 1952 -  Jornal do Povo, 21/2/1952, p. 1 Rádio Cachoeira do Sul - ZYF-4 - Coleção Emília Xavier Gaspary Precedido de quatro grandiosos bailes que se efetuaram nas principais entidades sociais cachoeirenses, o "Garden-Party" vem centralizando as atenções da cidade inteira, pois, assinalará o mais deslumbrante es

Cachoeira do Sul e seu rico patrimônio histórico-cultural

A história de Cachoeira do Sul, rica e longeva, afinal são 202 anos desde a sua emancipação político-administrativa, legou-nos um conjunto de bens que hoje são vistos como patrimônio histórico-cultural. Muito há ainda de testemunhos desta história que merecem a atenção pelo que representam como marcas dos diferentes ciclos históricos. Mas felizmente a comunidade e suas autoridades, desde 1981, pela criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural - COMPAHC, têm reconhecido e protegido muitas destas marcas históricas. Antes da existência do COMPAHC muitos e significativos bens foram perdidos, pois o município não dispunha de mecanismos nem legislação protetiva, tampouco de levantamento de seu patrimônio histórico-cultural. Assim, o Mercado Público, em 1957, e a Estação Ferroviária, em 1975, foram duas das maiores perdas, sendo estes dois bens seguidamente citados como omissões do poder público e da própria comunidade. Sempre importante lembrar que por ocasião do anúncio da